Maçonaria – A Liberdade Religiosa e o Início da Maçonaria Moderna

Hoje vamos seguir com a categoria Maçonaria para darmos continuidade ao último Post: Maçonaria – Os Construtores Medievais e a Relação com a Igreja Católica.

Após falarmos da relação da Maçonaria Operativa com a Igreja Católica, vamos falar do início do que chamamos de Maçonaria Moderna, que foi fundada no século XVIII.

Apesar da Maçonaria apresentar princípios católicos, nos séculos anteriores, ela não mais o faz no futuro. Por que isso aconteceu?

A Maçonaria tem seus regulamentos desde muito tempo, mas, não havia uma organização que funcionasse a nível mundial e esse cenário só começou a mudar após a fundação da Primeira Grande Loja, na Inglaterra.

Creio que a maioria dos leitores já ouviu falar que a Maçonaria Moderna foi fundada no ano de 1717. Acredito que o último Post, juntamente com o Post Maçonaria Milenar, tenham esclarecido a questão sobre não existir registros de uma Maçonaria que tenha existido há milênios.

Em 1717, a formação da Primeira Grande Loja se deu através da reunião de 4 Lojas Londrinas, que se uniram para fundar a Grande Loja.

Não é o objetivo desse post tratarmos dos motivos que podem ter levado a essa fundação, portanto, não vamos nos ater nisso. O que creio ser importante ressaltar é que existiam outras Lojas Maçonicas por toda a Inglaterra e que nenhuma delas estava envolvida nesse processo. Aliás, existiam outras Lojas na própria cidade de Londres.

É possível dizer que existiam motivos mais locais do que universais na Fundação dessa Grande Loja. Depois da fundação foi escrita a primeira Constituição Maçônica, em 1723, conhecida como “Constituição de Anderson” (apesar de também ter sido escrito pelo maçom Théophile Desaguliers).

Constituição de Anderson

Como já vimos anteriormente, podemos encontrar referências Católicas em vários documentos maçonicos anteriores a Maçonaria Moderna. Isso não acontecia mais depois de ter sido fundada a Primeira Grande Loja. A Maçonaria agora tinha, aparentemente, um caráter liberal e vários pontos da Constituição de Anderson nos ajudam a reforçar essa ideia, como:

“Todo maçom é obrigado, em virtude de seu título, a obedecer a lei moral. E como compreende bem a Arte, ele jamais será nem um ateu estúpido nem um ímpio libertino. Da mesma maneira que, nos tempos passados, os maçons eram obrigados, em cada país, a professar a religião de sua pátria ou nação, qualquer que ela fosse, nos tempos atuais nos pareceu mais adequado não obrigar além dessa religião na qual todos os homens estão de acordo, deixando cada um livre para ter sua opinião própria.

A mesma consiste em serem homens bons e verdadeiros, homens de honra e probidade, quaisquer que sejam a denominação ou as crenças pelas quais possam se distinguir. De onde segue que a Maçonaria é o Centro de União e o meio de suscitar a verdadeira amizade entre as pessoas. Sem ela, permaneceriam em um perpétuo distanciamento”.

Com esse pensamento vemos que não se acredita ser adequado que os Maçons sejam obrigados a “professar a religião de sua pátria ou não”. Portanto, a pergunta do porque essa mudança ocorreu poderia estar nesse documento. Uma resposta aparente é a de que agora a Maçonaria presava mais por Ideais do que pela Construção de Lugares Sagrados.

Podemos pressupor então que essa mudança se deu apenas por considerarem que esses ideais eram os mais importantes para a Ordem e para a época?

Bem, quanto a isso, vamos nos fazer uma pergunta: Seria possível que a Maçonaria, como dizia Anderson, continuasse a professar a crença de cada País? Se assim fosse, qual então seria a Religião que a Ordem deveria adotar na Inglaterra, quando nem era possível respondermos a pergunta “Qual a Religião da Inglaterra?”

A Maçonaria funcionaria nesse País se ela não tivesse esse forte ideal nela?

Não estou aqui para dizer que os motivos dessa ideologia de tolerância não eram nobres. Eu mesmo não consigo enxergar um “jogo de interesses” nessa questão, como se isso se tratasse apenas do fato de que, sem essa tolerância religiosa a Ordem não funcionaria como deveria. No entanto, não posso dizer a alguém mais cético, que acredita que foi assim, que ele está errado. Como vocês podem ver, existe um ponto de vista que justificaria isso.

Particularmente eu enxergo um pouco de cada nessa questão. Acho que os ideais sempre foram o foco e, de certa forma, também facilitavam para que as coisas funcionassem harmoniosamente.

Além do mais, dependendo da forma como interpretamos o texto da constituição de 1723, podemos encarar toda essa questão de forma que a “liberdade” não pareça tão livre assim, afinal, ela fala sobre “não obrigar além dessa religião na qual todos os homens estão de acordo”.

Mas o que isso quer dizer? Essa “religião” seria o simples fato de acreditarmos em Deus e na Imortalidade da Alma? Ou será que essa “religião” seria o Cristianismo, independente se ela se tratasse de Católica, Anglicana, Protestante, Presbiteriana e etc?

Talvez, nos dias de hoje, a primeira opção pareça ser a resposta certa, mas será que um Inglês daquela época também iria enxergar a questão dessa forma? Será que para ele seria óbvio que, independente do seu caminho, o mais importante é que simplesmente se acredite em um Ser supremo e que esse Ser pode ser de qualquer forma?

Quem sabe!

O texto também fala que alguém que compreende bem a Arte, jamais será um ateu estúpido ou um  ímpio libertino.

Nós sabemos que, mesmo depois de muitos séculos, a Maçonaria ainda se mantém leal ao princípio de acreditar em um Grande Arquiteto para poder ser Maçom, mas isso justificaria classificar todos os Ateus como estúpidos (em inglês a expressão é “stupid atheist”)?

Certamente não. Mas era isso mesmo que ele estava fazendo? Ele estava chamando todos os Ateus de estúpidos?

Existiram autores que apresentaram a possibilidade de que Anderson tenha dito apenas que não se aceitam ateus estúpidos – ou seja, um ateu inteligente seria permitido. Será que isso era mesmo possível? Ele estava realmente dizendo que todos os Ateus são estúpidos por serem ateus?

Parece improvável que tenha sido a intenção dele dizer que um ateu inteligente poderia fazer parte da Ordem.

Um Outro Ponto de Vista

Para fazer uma análise por outro caminho, vamor ver o texto equivalente escrito um pouco depois, em 1737, pelo Barão de Scheffer, quando foi lhe dado o poder de fundar Lojas no território da Suécia.

“Um maçom é obrigado por sua condição a submeter-se à moral e, se compreender bem esta regra, ele jamais será um ateu, nem um libertino ímpio. Nos séculos passados, os franco-maçons tinham a obrigação de professar a religião católica. Agora não levamos em conta os sentimentos particulares desde que eles sejam cristãos, fiéis à sua promessa, e pessoas de honra e de probidade, qualquer que seja, por outro lado, a forma pela qual eles possam se distinguir. Dessa maneira, a Maçonaria converteu-se em um centro de união e de verdadeira amizade entre as pessoas; sem essa agradável ligação, estariam para sempre separados e distantes uns dos outros”.

Nesse texto podemos ver algumas diferenças interessantes, quando comparados ao texto de Anderson. Nele vemos que a palavra “estúpido” (stupid) desaparece. O que nos mostra que, nesse caso, poderia se tratar de um ateu estúpido, inteligente, ou qualquer outro tipo.

Aqui também é dito que os Maçons “tinham a obrigação de professar a religião católica”. Se nos basearmos nos outros documentos da época anterior a Maçonaria Moderna é possível dizermos que essa é uma afirmativa verdadeira, pois se tratava sim de referências católicas.

Por fim, o texto fala “Agora não levamos em conta os sentimentos particulares desde que eles sejam cristãos”. Esse ponto nos ajuda a supor que a “religião na qual todos os homens estão de acordo” era sim o catolicismo.

Mas gostaria de lembrar que, não é porque existe esse documento que quer dizer que Scheffer fez a interpretação correta das palavras de Anderson. Pode ter sido apenas a interpretação dele.

No mais, independente de qual foi a relação da Igreja com a Maçonaria Operativa, a Maçonaria agora tem uma outra filosofia. O primeiro conflito com a Igreja não foi exatamente por causa disso e nem foi nesse momento, no entanto, esse foi o primeiro passo para que, futuramente, esse conflito viesse a ocorrer.

 

Veja Também

Maçonaria – A Liberdade Religiosa e o Início da Maçonaria
Maçonaria – As Primeiras Condenações
Maçonaria – A Primeira Bula Contra a Maçonaria
Maçonaria – A Repercussão da Primeira Bula
Maçonaria – A Bula de Bento XIV
Maçonaria – As Bulas de Pio VII e Leão XII
Maçonaria – Pio VIII, Gregório XVI e Pio IX
This entry was posted in Maçonaria. Bookmark the permalink.

44 Responses to Maçonaria – A Liberdade Religiosa e o Início da Maçonaria Moderna

  1. Roberto says:

    Cada post me deixa extomais curioso para ler o próximo. Parabéns e continue assim.

  2. Wilton says:

    Conteúdos como esse fazem muita falta em Loja. O que o nobre irmão tem a dizer sobre as instruções que temos hoje em dia?

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssimo,

      Acho complicado fazer essa análise porque a Maçonaria não foi feita para ser acadêmica, portanto, é complicado dizer que as instruções funcionariam melhor se fosse do jeito “x” ou “y”.

      Particularmente, eu gostaria muito que houvessem instruções mais sólidas, padronizadas e que, principalmente, funcionassem como estímulo para que os Irmãos buscassem mais sobre a própria Ordem. Infelizmente, não acho que isso vai acontecer.

  3. Rafael says:

    Caríssimo

    No oitavo parágrafo houve um erro de digitação na data. Está 1923, ao invés de 1723. No mais, excelente texto como sempre!

  4. alex vander says:

    Maçonaria mentirosa. Vai dar conta com Deus.

    • LH says:

      Admin., porque aprovar um comentário como este aqui de cima, se ele em NADA soma… apenas retrata a ignorância de alguns religiosos extremistas!

      • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

        Caro LH,

        Acontece que sempre tive a política de aprovar todos os comentários que não fossem SPAM. Em casos como esse, serve pelo menos para que todos vejam o tipo de comentário que vem de alguns religiosos. Mas realmente estou começando a repensar se deveria bloquear alguns comentários.

        • Pregador says:

          Olhando para o “avatar”do jovem ALEX VANDER, percebo que ele tem uma vontade reprimida de ser Maçom!
          Basta tirar um dos seus quadrados do seu Avatar e teremos um TRIPONTO!!!

  5. Alessandro Amaral M.'.M.'. says:

    Trabalho fantástico, mas efêmero. deveria aproveitar seu potencial de achismo e suposicionismo e tornar-se escritor de ficção científica. “Da-se para pensar”, “podemos pensar”, “poderia ser”… nada afirmativo e conclusivo.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Seria muita pretensão (para não dizer estupidez) querer ser “afirmativo e conclusivo” com relação a um assunto que está longe de ser o caso. Quando acontece isso, promover uma reflexão é a única forma sincera de tratar o assunto.

      Potencial de “achismo” já está em grande parte da Literatura Maçônica Brasileira, onde muita coisa é dita como “afirmativa e conclusiva” quando, na verdade, não existe nenhuma base para tais afirmações. Se o Irmão considera esse tipo de “literatura” menos efêmera, não se preocupe pois obras assim são o que não faltam. Você pode adquiri-las ao invés de gastar seu tempo com blogs como esse.

    • João Felipe Azeredo says:

      A vontade de criticar é tanta que mesmo diante de um trabalho como esse o cara quer vir criticar alguma coisa (e o pior de tudo é que ainda por cima é maçom). Deprimente. Não sei porque o nobre irmão admin ainda perde tempo respondendo esse tipo de comentário.

  6. Octávio Braga says:

    Prezado Admin,

    Concordo que o comentário do Ir.:. Alessandro Amaral foi rude e desnecessário,não acrescentando em nada para você nem para quem está lendo o blog.

    Masssss, mesmo assim, o que talvez ele tenha TENTADO passar (de forma errada) é a conclusão do texto sobre o Ir.:. James Anderson estar aberto às outras religiões ou não. No fim das contas, pelo que se pode perceber, o Irmão Admin não chegou a uma conclusão acerca disso. Eu ficaria muito grato se você pudesse dar um esclarecimento sobre o assunto.

    T.:.F.:.A

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      E eu ficarei muito feliz em responder, meu Irmão Octávio. Se essa foi mesmo a dúvida do Irmão Amaral, eu também poderia ter respondido, se ele tivesse escolhido uma forma menos estúpida de fazer essa abordagem.

      A resposta é muito simples. Você tem a opção de acreditar que Anderson e Desaguliers estavam aceitando o Cristianismo como “a religião que todos estão de acordo”, ou acreditar que não, que eles estavam se referindo mesmo a todas as Religiões.

      Não se pode “bater o martelo” e concluir que foi um ou outro. Existe o argumento para defender que sim e o argumento para defender que não. Qualquer conclusão, tomando por base o que os dados apresentados, será uma conclusão pessoal, baseado no ponto de vista que lhe parecer mais correto.

      Eu acredito que ele realmente se referia apenas ao Cristianismo, mas por que eu deveria concluir o texto colocando a minha conclusão? Cada um conclua o que achar melhor. O que coube a mim foi apresentar a Teoria.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Por duas vezes aqui no Blog eu apresentei a minha visão pessoal de questões “não-comprovadas” como se fosse a verdade dos fatos – e não é interessante fazer isso. Depois de um tempo eu mudei os dois textos do blog que estavam assim, explicando que se tratava de uma suposição.

      Não é honesto fazer as coisas dessa forma. Por mais que eu tenha meus argumentos e motivos próprios, temos que encarar quando uma questão não é conclusiva.

      Espero ter esclarecido a questão, meu Irmão…

  7. Gabriel P. says:

    Olá Admin!

    Esse post me fez lembrar de uma duvida que eu tinha sobre a sua relação sendo satanista com a maçonaria.

    Como foi para você revelar a sua doutrina teoricamente “excomungada” pela sociedade em uma ordem que tem lá por base valores cristãos? Obviamente que hoje, para os mais esclarecidos, não é algo muito intimidador se auto-proclamar satanista, mas como foi explicar tintim por tintim para os seus irmãos?

    Abraços!!

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssimo,

      Na verdade, eu não sou Satanista, sou Agnóstico (já até respondi isso aqui no Blog). O que acontece é que fui Satanista por muito tempo e, como me aprofundei nesses Estudos, hoje ainda os mantenho. Da mesma forma que mantenho contato com vários grupos Satanistas do país (principalmente depois do Blog).

      No entanto, com relação a Loja, o que acontece é exatamente o contrário. Os que convivem comigo (não só da minha Loja, como também os outros Irmãos das Lojas locais que eu frequento), insistem que eu sou Satanista, ainda que eu insista que não sou mais há muito tempo.

      É claro que já tive Irmãos “olhando torto” para mim por causa disso, mas sempre que fui questionado (por um irmão “menos íntimo”) era exatamente a oportunidade que eu utilizava para explicar o que era o Satanismo. E eu sempre ressalto nessas discussões (por mais que isso não seja o Satanismo) que mesmo que exista um Irmão que acredite em um Demônio como criador do universo, esse Irmão ainda estará cumprindo os princípios de acreditar em um Grande Arquiteto e deve ser respeitado como qualquer outro…

      • Gabriel P. says:

        Engraçado você ser agnóstico. Nada contra, mas acredito que o agnosticismo se aproxima mais do ateísmo do que outra coisa. Isso não entra em conflito com a maçonaria? O minimo possível para ser um maçom não seria um deísta?

        • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

          Caríssimo,

          Estaria próximo do Ateísmo se eu fosse um Agnóstico Ateísta (o que é possível, mas não é o caso). O Agnosticismo consiste, resumidamente, em uma visão que acredita não ser possível conhecer a divindade (e, dependendo da situação, as demais questões metafísicas). O problema é que muita gente não entende isso da maneira correta.

          Veja bem, alguém pode ser agnóstico e (ainda sim) acreditar no Deus Cristão, em OVNIs Reptilianos, em Astrologia Hermética, em 49 Dimensões, em 351 Grandes Iniciações até chegar a Unidade Primordial e etc… pois ser agnóstico não restringe nada disso. Um agnóstico irá lhe dizer que a razão humana não tem condições de afirmar que Deus existe (mas isso não impede que o próprio agnóstico acredite na existência de Deus… Ele só não acha que é possível conhecê-lo).

          Inclusive, boa parte dos Satanistas (que seguem a doutrina de Lavey) são Agnósticos.

  8. Torres says:

    Ainda não tinha pensado na primeira Constituição Maçônica como objeto de reflexão. Bela peça de arquitetura…

  9. Daiane says:

    Li alguns posts achei muito interessante PARABÉNS!!!!! Mas num post mais antigo me fez pensar cristo tem algum lugar na religião maçonica? ou será mesmo que existiu e morreu e ressuscitou como dizem ai na catolica?

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssima,

      A Maçonaria não é uma religião, portanto, não há um posicionamento sobre nenhuma figura religiosa em específico.

  10. eliz says:

    ola, achei o blog circulando pela net,nã sei se vc podera me ajudar, mas parece-me muito esclarecido e conhecedor do assunto.Bem, eu e meu marido fomos convidados a uma reunião da maçonaria,mas temos muitas duvidas,gostaríamos de ir, porém, não sabemos ao certo como funciona.O que sempre pensei sobre maçonaria era que por ter muitos membros no passado que eram cientistas, inventores ou artistas que tinham vis˜soes diferentes da Igreja se obrigavam a se ocultar pra fugir da fogueira,mas qdo criança sempre ouvi histórias de que maçons fazem pacto com o diabo, dão o sangue de seus filhos, e várias outras histórias que vc mesmo ja deve ter ouvido.Sou cristã, acredito muito em Deus, mas não frequento nenhuma igreja, pois ja me iludi em muitas, por favor gostaria que me esclarecesse, se possivel, se realmente procede que maçonaria e satanismo são a mesma coisa, obrigada!

    • eliz says:

      li alguns textos do blog, e creio que não são as mesmas coisas, seus textos são esclarecedores, obrigada!

    • Jaques says:

      Cuidado com algumas falsas maçonarias. Não diria espúrias, porque penso que tem algumas não regulares sérias. Mas tem muitas que só tem a intenção de tirar dinheiro dos trouxas. Por precaução, entre em contato primeiro com uma das tres potências regulares, Grande Loja, Grande Oriente do Brasil, ou Grandes Orientes Estaduais. Como acredito que deva existir potências não regulares sérias mas não sei disser quais delas são. T.·.F.·.A.·.

  11. Prisco says:

    P,’,P,’, a todos navegando , por ai , li um pouco dese post, para min é como um outro qualquer , não acrecenta em nada , seo mesmo é maçom então não deve honrrar a maçonaria como ele deve ser honrrada , quando um maçom se propoe a escrever este tipo de artigo é por que falta-lhe o que fazer . Ir,’, procure conhecer sua casa e sua familia .
    S,’,F,’,U,’,
    T,’,F,’,A para toda familia
    ,’,Prisco

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Nem vou me dar ao trabalho de tratar dos “pontos” que esse Irmão tocou, afinal, o Blog já está cheio desse tipo de comentário estúpido.

      Se ainda perco meu tempo respondendo é para, mais uma vez, vermos como é precário o nível de preparação de muitas lojas e de muitos maçons. Infelizmente, existem muitos por aí como o Irmão “Prisco”. É aquele maçom que, além de não estudar nem o MÍNIMO que um maçom deveria estudar sobre a Ordem, também não quer que os outros o façam, então criticam os Blogs, Sites, Artigos e Livros que promovam qualquer reflexão (ou até esclarecimento) acerca da Ordem e de seus preceitos.

      Como sempre, repito que não acho que essa situação irá mudar tão cedo – o que é uma pena.

  12. josias zanco says:

    Ser satanista não significa ser Satã. Conheças o bem e o mal, e plainarás como um Espírito acima da luz e abaixo das Trevas. O dermatologista, não é a pele. O cardiologista não é o coração. O ortopedista não é o osso.

  13. Pregador says:

    Nobre Ir.’. Administrador!

    Eu ainda não tinha visto o texto do Barão de Scheffer e mais uma vez seu texto foi um instrumento de trazer mais conhecimento e esclarecimento sobre as bases da Arte Real!

  14. lupus says:

    Saudacoes a todos sou de criacao evangelica mas sempre me questionei muito, porque os lideres de igrejas sao tao ricos a resposta e simples porque os membros dao seu dinheiro (lavagem cerebral), eu nao sou mas este tipo de pessoa pois aprendi a ter uma visao critica. Mas voces devem perguntar o que esse comentario tem a ver com o assunto em questao?Simples, eu por conta propria estudo satanismo e maçonaria e vejo que nao è tudo o que pintaram pra mim, pois depende do ponto de vista e da intencao do operador… hoje posso dizer sou um livre pensador. parabens pelo post.

  15. JULIANA says:

    boa apresentação. Adorei a página *_______*

  16. Sobrinho says:

    O Irmão saberia nos informar onde é possível conseguir a 1ª parte da constituição de Anderson, em português?

  17. deborah says:

    Admin, seus posts são extremamente esclarecedores !!!!OBRIGADA!!!!

  18. Mr Ferreira says:

    qual a relação do “satanismo” e da maçonaria?

  19. Lucas says:

    Gostei muito do site e dos post. Sou cristão, mas não julgo a maçonaria como satânica, gosto muito de seus pensamentos e ideais. Espero que continue o site com a mesma Idea, para que possamos compreender a nossa rica historia desse mundo.

  20. “Não é Maçom quem quer, e sim quem pode ser. O Maçom é obrigado por ser caráter a obedecer à lei moral e, se devidamente compreende a ARTE, não será jamais um estúpido ateu nem um libertino irreligioso.

  21. ivo says:

    Estava preparando uma pergunta sobre a impossibilidade de um satanista ser maçom, já que na Biblia Satanica Anton Lavey diz (em outras palavras) que o Deus que te salva pode ser voce mesmo, procura-se Deus vivo ou morto, eu sou meu proprio Deus e outras coisas mais. Achava que todo satanista e ateu e quem nao é nao segue os principios satanicos sobre a existencia de Deus. Mas apos a leitura deste post, tudo se esclareceu. É bom saber que um satanista pode ser maçom. Sua simples definicao de agnosticismo foi bastante elucidativa.

  22. BOLODÓROS says:

    Bem li todo o tema e a discussão que deu pano pra manga. Muito bom a conversa entre as partes. Melhor mesmo que falar um monte de bosta no trabalho para o abestalhamento das massas e a felicidade coletiva. Apesar que adoro falar merda também.

    Bem, eu acho, que a ordem jamais seria o que é, se não fosse especulativa, ela começou a angariar membros do governo e caras da PICA GROSSA MESMO. Ai começou a aliviar pra eles. Começaram a angariar caras que mandam no pedaço de toda REDONDEZA, e ficar SUJO NA RODINHA passou a ser papo de igreja pra aumentar a fé em Jesus.

    Bem, o amigo JAQUES, respondendo a pergunta sobre o convite pra ser masson para a colega Elis. Gostaria de lembrar que o papo de não ser um ateu imbecil é coisa pra boi dormir, já que se eu fosse masson e conhecesse um cara ateu com grandes possibilidades de ser um bom irmão da ordem, eu poderia tranquilamente convida-lo já que o rito de york e o escoces diferem na aceitação de um deus, sendo algo regular pra um e irregular pra outro. Mas voltando ao assunto do cuidado sobre a ordem e seus templos regulares e irregulares, Olha, tomem cuidado mesmo. Ligue para o Grande oriente do brasil GOB, ou GLESP. Porque o golpe da maçonaria existe, é real e esta acontecendo agora, neste momento. Primeiramente que a massonaria regular não convida ninguém sem um padrinho, pergunte quem é seu padrinho, pergunte se é da Gob ou da Glesp. Pegue o endereço e ligue pra confirmar. As duas irão te atender e falar se é regular ou não.

    Se a massonaria tivesse apenas em seus quadros homens de boa indole ela estaria FU…
    sem bosta no …. PRA CAGAR….. Bem cada um luta com as armas que tem. Se ela é poderosa, e eu fosse o presidente do brasil, já seria só pelo meu cargo grau 33 logo de cara. ahahahahahha ALGUM MASSON CONTRA?

  23. BOLODÓROS says:

    Esqueci, mas me alembrei.

    Bem, sinceramente acho que este blog pode ser irregular para a gob e pra glesp. Mas e daí, eles não tem nada a ver com isso. Concorda?

    E O CAMARADA QUE FALOU EFÊMERA E SE DIZ MASSON, NO MÍNIMO É UM PAGA PAU USANDO PALAVRAS QUE NÃO SABE O SIGNIFICADO, RSSSSSS

    Eu me perguntaria porque ser masson? Pra ter um monte de obrigação no dia da sua folga? pra ter que entregar trabalhos em data prevista? pra ter que pagar cootizações que irão fazer falta pra mim no final do mÊs, pra ter uma sindicancia da minha vida e passar o maior vexame? Pra estar entre caras doutorados, pós graduados, bilingue, carais a 4, e eu um zé ruela que nunca saiu de são paulo? pra ter mil vezes mais responsabilidade que já tenho?

    OBRIGADO. Nos convites via telegrama pra participar de uma reunião massonica tivesse escritas em letras bem grandes a total responsabilidade que iria ter que se assumir, duvido que alguém iria querer entrar lá. DÚVIDO.

  24. andre Duarte says:

    Gostei muito do post sou Cristao e admiro muito a Maconaria e creio que a fraternidade e os ideais em unidade envolvidos causam inveja em outros meios por isso as criticas e perseguicoes ! Estou me formando em engenharia e quando surgir o convite quero fazer parte dessa intituicao !

Leave a Reply to Prisco Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>