Maçonaria – As Bulas de Pio VII e Leão XII

Hoje vamos seguir no século seguinte ao qual já discutíamos: O Século XIX.

Nesse novo século existem mais bulas atacando a Maçonaria (direta ou indiretamente) do que o século anterior. Vamos falar um pouco desses casos.

Com exceção da “Humanum Genus”, essas bulas papais não tiveram uma repercussão tão grande como as duas primeiras, já citadas nesse blog. No entanto, isso não é motivo para as deixarmos de lado.

“A primeira advertência do perigo foi dada por Clemente XII no ano de 1738, e sua constituição foi confirmada e renovada por Bento XIV.

Pio VII seguiu o mesmo caminho; e Leão XII, por sua Constituição Apostólica – quo graviora -, juntou os atos e decretos dos pontífices anteriores sobre o assunto e os ratificou e confirmou para sempre. No mesmo sentido pronunciaram-se Pio VIII, Gregório XVI e, muitas vezes, Pio IX.”

Essa parágrafo foi retirado da bula emitida por Leão XIII (a “Humanum Genus”) que é uma das bulas mais pesadas dirigidas a Maçonaria (é também uma das mais interessantes, na minha opinião). Mas deixemos essa bula para outro post. Vamos falar dessas citações feitas por Leão sobre a acusação dos seus antecessores.

Com relação a Clemente e Bento, já falamos sobre eles (nos Posts A Primeira Bula Contra a MaçonariaA Repercussão da Primeira BulaA Bula de Bento XIV) então, vamos falar um pouco dos outros  que foram citados para ver a relação destes com a Maçonaria.

Com exceção de Pio IX, estes papas não dedicam tantas palavras contra a maçonaria, diferente de Clemente e Leão, mas, ainda sim, colaboram para a péssima imagem que a Maçonaria sofreu (e que ainda sofre) devido a um grande desconhecimento (e preconceito) que essas pessoas tem da Ordem.

Pio VII

Pio VII publica a Bula “Ecelesian a Jesus Christo” que acusa, na verdade, os Carbonários.

A questão aqui é que sobra para a Maçonaria, já que não era difícil de imaginar que alguém pudesse acabar fazendo essa associação (afinal de contas, é sempre culpa da maçonaria).

Realmente existe uma teoria (bem sólida até) que apresenta os carbonários como advindos da Maçonaria, mas isso em nada os ligava a Maçonaria nesse momento.

Pio começa a sua bula falando sobre as sociedades secretas no geral e de como elas estão aumentando, tendo por objetivo a conspiração e o crime.

Em sua acusação ele alega que essa é uma seita que já foi dividida em várias seitas e que, por muitas vezes, assume um nome diferente, mas que a entidade ainda é uma só e que geralmente leva o nome de Carbonária.

A partir daí começam as acusações, sendo uma delas com relação a Carbonária querer destituir o poder da Igreja para que eles possam ter o poder.

Apesar dos exageros contidos nessa bula (e que já é bem comum de se esperar, nesses casos) a Carbonária sempre foi declaradamente anticlerical, ou seja, era contra o poder de influência de qualquer igreja nas questões sociais.

No entanto, como Pio quis exagerar, a informação deixou de ser verdadeira já que o objetivo da Carbonária não era tomar o poder para si.

Mais a frente é feita, enfim, a relação com a Ordem Maçônica, quando Pio diz:

“Também somos movidos pelo exemplo de Clemente XII e Bento XIV (…) que condenaram e proibiram a sociedade dos Liberi Muratori, ou Franco Maçons, ou qualquer outro nome, dependendo da região e idioma, do qual a sociedade da Carbonária deve ser reconhecida como a prole ou certamente a imitação. E, embora já tenhamos proibido gravemente esta sociedade com dois editais publicados, através do nosso Secretário de Estado, pensamos, seguindo o exemplo de nossos predecessores acima mencionados, que penas severas devam ser aplicadas com uma formalidade solene contra essa sociedade, especialmente porque a Carbonária indiscriminadamente alega que não estão incluídos nessas duas Constituições de Clemente XII e Bento XIV e que, portanto, não estão sujeitos aos julgamentos e sanções propostas neles.”

E, assim, sobra para a Maçonaria mais uma vez.

Leão XII

A Bula de Leão XII foi feita para acusar as sociedades secretas como um todo.

Como já era de se esperar, a lógica era: “Se é uma sociedade secreta é porquê tem algo a esconder e se tem algo a esconder é porquê boa coisa não pode ser”. Partindo dessa premissa é natural que rapidamente se chegue a conclusão de que se trata de algo que vai contra os princípios da Igreja.

A “Quo Graviora” é uma bula bem grande, mas não porquê Leão tenha muito a dizer sobre a Maçonaria ou as Sociedades Secretas, mas sim porquê, o ponto mais forte nessa bula é simplesmente a bula dos Papas anteriores a ele.

É através delas que ele pode criticar e apontar que tais sociedades não fazem bem e que já haviam referências anteriores a isso, como se o simples fato de alguém (do passado) ter dito que era assim tornasse tudo verdadeiro.

É claro que não podemos negar que essas outras bulas inseridas nessa bula era algo muito prático, já que naquela época as pessoas não poderiam procurar as bulas anteriores no Google.

Colocando no documento ele garantiria que não ficasse “o dito pelo não dito”. Realmente os papas citados disseram tudo o que está ali (o que, reforço, não quer dizer em momento algum que essa fosse uma verdade inquestionável).

Leão alega que livros, em nome dessas sociedades, foram escritos sobre a Religião e sobre o Estado, desprezando e blasfemando contra ambos. Ele também diz que eles, por várias vezes, alegam que Cristo é uma ilusão e, não raramente, também chegam a dizer que não existe um Deus e que a alma do homem morreria junto com o corpo.

Além disso, ele também acusa essas sociedades de quererem acabar com a Igreja e os governos legítimos, completando que, apesar dos diferentes nomes, essas seitas estão unidas por uma “ligação ímpia de metas imundas”.

A parte que eu acho mais interessante é quando Leão alerta que se deve tomar cuidado com os membros dessa seita porquê com a bajulação e com os “discursos adoçados com mel” você poderá ficar seduzido a entrar nessas seitas.

Esse tipo de argumento existe até hoje, só que, aqui no Brasil, é mais comum de se ouvir dos evangélicos pentecostais e neo-pentecostais, quando dizem que os “servos do demônio” atuam através da “bondade e do intelecto”, confundindo assim a mente do cristão.

Ou seja, a pessoa é doutrinada a acreditar que o outro é um “ser do mau” quando ele apresentar bons argumentos contra a sua crença e for uma boa pessoa – e, convenhamos, é uma boa estratégia para que um Pastor não precise ficar com medo de perder o seu rebanho.

Por fim, como eu disse no começo, mesmo se tratando de bulas que não tiveram grandes repercussões (como as citadas em Posts anteriores)  não é motivo para deixá-las de lado. Sempre pode interessar a alguém.

 

Veja Também

Maçonaria – A Liberdade Religiosa e o Início da Maçonaria
Maçonaria – As Primeiras Condenações
Maçonaria – A Primeira Bula Contra a Maçonaria
Maçonaria – A Repercussão da Primeira Bula
Maçonaria – A Bula de Bento XIV
Maçonaria – As Bulas de Pio VII e Leão XII
Maçonaria – Pio VIII, Gregório XVI e Pio IX
This entry was posted in Maçonaria. Bookmark the permalink.

14 Responses to Maçonaria – As Bulas de Pio VII e Leão XII

  1. Carlos Pires says:

    Prezado Irmão,

    Um grande amigo me recomendou o seu blog, visto que o mesmo teceu vários elogios ao mesmo e ao seu idealizador. Em um mês completei a leitura de todos os post (Iniciando pelo “Maçonaria e Satanismo / Proposta” até o atual “Maçonaria – As Bulas de Pio VII e Leão XII”).

    Quero lhe agradecer pelos ótimos momentos de leitura que tenho com os seus posts, bem como, lhe parabenizar por sua iniciativa, didática e trabalho enriquecedor.

    Até o próximo post,
    Um grande abraço

  2. Lins says:

    muito chato!

  3. Aprendiz says:

    Boa noite, hoje encontrei seu blog e li a metade de suas publicações que fomentaram em mim a busca por conhecimento/ esclarecimento!
    você poderia explicar o que é o satanismo. na minha ignorância, até então, eu achava que era adoração ao satã (mau). Mas ainda não vi uma explicação elucide o termo. Isso é religião, filosofia, etc? (Parece-me que a busca por uma força maior que pode ser usada para o bem ou para o mal, aí usa-se o livre arbítrio!)
    O senhor, poderia, também citar os textos bíblicos que falam e lúcifer e como foram mal interpretados, trazendo confusão às significâncias dos termos lúcifer/Prometeus; lúcifer/”capeta” ?
    Mais uma pergunta, sei que maçonaria não tem nenhuma relação com religião. Mas ouvi inúmeras vezes que o pré-requisito para ser iniciado na maçonaria é crer em Deus. pergunto que Deus? Qual é o nome do Deus em que você crer?
    desde já, muito obrigada.

  4. Aprendiz says:

    Desculpe, li o post “Satanismo de LaVey / O Verdadeiro Satanismo”, então algumas perguntas já foram respondidas. de qualquer modo, aguardo que o senhor me responda pacientemente como tem feito a muitos outros.
    Grata

  5. Aprendiz says:

    Eu, perturbando de novo. Se, de acordo com o satanismo, “você” é deus (é isso, ou entendi mal?) então “você” é G.A.D.U.? não entendi!

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Nesse caso não, meu caro.

      O Grande Arquiteto do Universo é o princípio criador, o qual cada um pode entender da forma que achar mais correta.

      No Satanismo, a ideia de colocar o homem como Deus é apenas uma forma de apresentar o homem como “superior” a concepção de uma divindade, mas o princípio criador continua existindo nessa doutrina – e não é o homem (como você pode ver no Post “Satanismo de Lavey / O Verdadeiro Satanismo”).

  6. Laura says:

    Saudades de quando o adminin respondia as perguntas ;-;

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssima Laura,

      Você tem toda a razão. Vou ser mais atencioso quanto a isso e voltar a responder.

      Grato pelo comentário.

  7. armando says:

    Cala boca cara, que grande arquiteto coisa nenhuma. Existe Deus todo poderoso que enviou seu filho Jesus Cristo para salvar a humanidade. Jesus fundou uma igreja sobre Pedro e deixou claro que é para todos obedecerem-na, pois deixou o Espírito Santo para guiá-la até o fim do mundo. Se temos a igreja deixada pelo filho de Deus, para que seguir esses lixos de sociedades inventadas por mentes diabólicas? O objetivo final desses lixos é a libertinagem , no final de tudo é isso que eles querem.
    A maçonaria é vem com máscara de ovelha, mas só engana os desavisados e os obstinados no caminho do mal.
    A maçonaria é um câncer no meio da humanidade e deve ser varrida do mapa.

    • Rainha Stefanny says:

      Querido Armando,
      Eu não sou satanista e maçônica.
      Sou, antes de tudo, humana. E como qualquer ser humano, o modo que vemos Deus/deus é particular. Aceito que você seja cristão e que goste da “Igreja de Pedro”. Mas devo te lembrar que se existem religiões é porque existem formas diferentes de ver Deus; consecutivamente, essas formas vêm dos homens que são “imagem e semelhança de Deus”. Conclusão: Deus é a diversidade que vemos e criamos. Outra coisa: este site é uma proposta de debater duas filosofias religiosas; não de pregá-las. Se você não gostou, vá para outros. Deixe que as pessoas que querem quebrar as correntes do Preconceito o façam. Eu também sou cristã, mas apreendi que muito que nos foi dito era mentira ou distorção. Hoje vejo o que importa de verdade é a conexão de volta com a divindade e a construção da sua felicidade junto a ela. Se você a chama de Buda, Jeová, Satan ou Britney Spears; isso é problema seu. Não critique a fé dos outros, ninguém desse site foi até a sua.

  8. armando says:

    Vai ler a Bíblia. Jesus é o caminho, a verdade e a vida, ninguém vai ao Pai senão por ele.

    • Rainha Stefanny says:

      Querido Armando,
      Jesus mandava que amássemos o próximo; não que enchêssemos o saco dele. Eles – maçons, satânicos, budistas, etc. – veem a proposta de Jesus e de Deus com outros olhos. E isso é lindo. Eles criaram alternativas para se encontrar com a Divindade. As metáforas cristãs são para ser pensadas sobre; não foram criadas para serem seguidas “ao pé da letra”. Quando Jesus fala que ele é o caminho, verdade e a vida, ele se refere ao amor, à indulgência e à fraternidade que ele trazia no Coração. Ele era metafórico com tudo e consigo próprio. Se você analisá-lo, pode se dizer que ele era até meio satanista/maçônico quando diz “Sois deuses, podeis fazer o que faço e muito mais”. Uma referência à própria divindade do homem enquanto parte de Deus, sendo paradoxalmente Deus e sua obra. São visões que se encontram. Não há como negar. Entenda
      Beijos.

  9. ivo says:

    A maçonaria nao induz á libertinagem coisa alguma, meu amigo. Eles (OS MAÇONS) valorizam MUITO a família e o valores morais. Na verdade, tampouco o Satanismo faz, pois diz que voce deve fazer tudo com responsabilidade. Isto nao é libertinagem.

Leave a Reply to armando Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>