Maçonaria – Os Construtores Medievais e a Relação com a Igreja Católica

Maçonaria e os ConstrutoresNo Post anterior, falamos sobre a relação dos Templários com a Igreja, sobre o fato desses cavaleiros não terem sido criados pela Maçonaria e nem da Maçonaria ter surgido dos mesmos – pois já existia na época.

Hoje vamos tratar do que, de fato, era a Maçonaria nessa época, na Idade Média, e da relação que existia com a Igreja Católica.

Em outras palavras, essa é a Maçonaria que precede a “Maçonaria Moderna”. É a Maçonaria dos Construtores da Idade Média, que é chamada de “Maçonaria Operativa”.

A nível de informação, a data de surgimento oficial da Maçonaria Moderna é o ano de 1717. Foi a partir dessa data que foi fundada a Primeira Grande Loja do mundo (que, para quem não sabe, é o órgão que regulamenta todas as Lojas Regulares do mundo). Esse foi o primeiro passo para que fosse possível regular o funcionamento da Maçonaria no mundo afora.

Após o surgimento da Maçonaria Moderna, veio a Constituição de Anderson, que apresentava a história, as obrigações e os regulamentos da Ordem, onde, com relação a história, Anderson a descrevia como uma Ordem Milenar, traçando um caminho desde Adão até chegar nos dias atuais da Ordem (passando por várias épocas).

Já falamos um pouco sobre isso no Post “Maçonaria Milenar?” – se o assunto lhe interessa, dê uma lida.

A partir daí, várias teorias passaram a surgir com relação a origem da Ordem. Essas teorias atribuíam sua origem a diversos grupos e lugares distintos. Dentre as mais curiosas, na minha opinião, podemos destacar o surgimento no Japão; na “Nova Atlântida” (de Francis Bacon); entre os Jesuítas; no Jardim do Éden; antes da criação da matéria (em um plano espiritual) e etc.

Hoje sabemos que, independente de qualquer suposta origem antiga que alguém a atribua, a Ordem surgiu da Maçonaria Operativa, que foram Construtores da Idade Média, na Europa.

Pode-se dizer que um dos primeiros estudos sobre a Maçonaria Operativa começou com um não-Maçon, o abade Philippe-André Grandidier, no final do século XVIII (1778). Ele foi o primeiro a fundamentar a sua opinião de que a Franco-Maçonaria surgiu através dos Construtores, baseando-se nos arquivos da Catedral de Estrasburgo.

Sua busca chegou até vários documentos de Estrasburgo, concluindo a natureza Operativa da Maçonaria, compreendendo que sua origem partia da mesma “instituição” que ele havia “descoberto.”

A bem da verdade, cabe ressaltar que pelo menos 28 autores, no século XVIII (e antes de Grandidier), já haviam relacionado a Ordem com construtores da Idade Média, no entanto, como elas não apresentavam fundamento sólido, elas tinham praticamente o mesmo valor que as demais teorias.

Além da importância de Grandidier, por ter descoberto esses documentos, ele nos deixou (dentre muitas outras obras históricas e arqueológicas) sua obra “Ensaios Topográficos e Históricos sobre a Catedral de Estrasburgo”, onde ele dá um resumo do Status dos “Talhadores de Pedra da Idade Média“.

Com estudos futuros, a Ordem foi tendo acesso a outros documentos que permitiram entendermos melhor o funcionamento daquela época Operativa. Os Maçons Operativos foram os grandes Construtores do passado.

Talvez você esteja se perguntando como foi possível que atribuíssem a origem da Ordem a tantas correntes de pensamento, épocas e lugares distintos?

Bem, no século XVIII, a Maçonaria já tinha a base de “moral e virtudes” pela qual a Ordem é conhecida hoje em dia. Portanto, imaginem uma Ordem de Virtudes, que presa pelo aperfeiçoamento do homem e que utiliza símbolos e alegorias que tem relação com a arte da construção. Isso abre espaço para muitas teorias.

Maçons Católicos?

Tendo pontuado essa questão, podemos passar para o ponto chave desse post.

Em vários documentos que temos registro, da Maçonaria Operativa, podemos ver como esses Maçons faziam uma declaração especificamente católica.

Nos Estatutos de Ratisbonne (XV), nós já podemos ver como esses Maçons lidavam com a questão religiosa-católica na instituição. Ele começava da seguinte maneira:

“Em nome do Pai, do Filho, do Espírito Santo, da bem-aventurada Virgem Maria, e também de seus bem-aventurados Servidores, os Quatro Santos Coroados, em sua memória eterna”.

Durante o texto ele fala sobre a obrigatoriedade de se confessar e comungar, pelo menos uma vez ao ano… também afirma que “os mestres e os artistas devem considerar justo que Deus Todo Poderoso os receba graças a Arte e ao Trabalho de construção, das edificações divinas e das obras admiráveis (…) e que seus corações sejam tocados de gratidão cristã, a fim de promover o serviço divino, e ganhar a salvação de sua alma”.

Em outro documento, conhecido como “A Carta de Bolonha” (considerado o documento mais antigo da Ordem) podemos encontrar essa referência católica no juramento…

“Eu, mestre da madeira e do muro que sou, ou serei, da sociedade de ditos mestres, juro, em honra à nosso Senhor Jesus Cristo, à Bem-Aventurada Virgem Maria e a todos os santos, e em honra ao podestade e capitão que é agora ou serão no futuro, e para a honra e bem estar da cidade de Bolonha…”

Nos Manuscrito Cooke (1430) encontramos essa referência logo no começo…

“Damos graças a Deus, nosso glorioso Pai, Criador do Céu e da Terra e tudo o que nela está e que ele conhece [em virtude] de sua Gloriosa Divindade.

Ele fez todas as coisas para ser obedecido, e muitas delas em benefício da humanidade, lhes ordenou submeterem-se ao homem, porque todas as coisas que são comestíveis e de boa qualidade [servem] para o sustento do homem.”

Caso não tenha ficado claro que essa última citação se trata de uma referência católica, é importante se atentar para o “nosso glorioso Pai, criador do céu e da terra”.

Essa assertiva é apresentada pela igreja em seu Credo de Nicéia e sua importância é bem maior do que maioria das pessoas imaginam.

O que a Igreja representava com isso era a ideia de um único Deus, criador de tudo e de todos, demonstrando que ela não admite outros deuses, nem outras “causas e efeitos” que não o Deus único.

Os Livres Construtores

No mais, devido ao trabalho que os Maçons realizavam nessa época (e já declarando sua natureza cristã) eles passaram a ter, graças a Igreja, um “passe livre” pela Europa, já que a demanda de construções era muito grande e não haviam construtores suficientes para a realização de todos os empreendimentos.

Graças a alguns papas da época eles estavam liberados dos estatutos locais, dos decretos reais e de qualquer outra obrigação imposta aos habitantes dos países onde eles estivessem residindo, ficando assim acima das leis do Estado e estando sob a proteção da Igreja. Podiam transpor as fronteiras livremente, tanto em tempos de paz como em tempos de guerra.

Cabe lembrar que nem todos os construtores da época eram membros da ordem que hoje chamamos de Maçonaria Operativa.

Podemos ver, já em 1350, em um Ato do Parlamento Inglês, do reino de Eduardo III, a denominação de franco-maçon, no caso “free-stone-mason”, que era o Maçon livre que trabalhava a pedra ornamental, distinguindo-os assim dos “rough-mason”, denominação dada aos trabalhadores rudes (normalmente os escavadores ingleses).

Esses Franco-Maçons tinham seus sinais secretos, seus símbolos e um procedimento ritualístico. Inclusive, alguns dos procedimentos de iniciação foram preservados até os dias de hoje.

Para finalizar, no post sobre os Templários eu apresentei uma pergunta que muitos fazem, com relação a Igreja e a Maçonaria, que é: “Como a Igreja, que apoiava os Templários, veio a condenar a Maçonaria, séculos depois??”

No próprio Post já ficou claro o porque da pergunta não fazer sentido (já que os Templários não eram a Maçonaria), no entanto, uma pergunta parecida pode ser feita agora:

“Como a Igreja, que apoiava a Maçonaria Operativa, veio a condenar a Maçonaria Moderna, séculos depois??”

Bem, veremos essa resposta no próximo Post…

PS: Gostaria de agradecer ao João Felipe Azeredo que agora ficará responsável por cuidar das questões técnicas do Blog, além de aprovar os comentários e responder (em grande parte das vezes) aos leitores no Facebook.

 

Veja Também

Maçonaria, Inquisição e a Igreja Católica
Maçonaria – Jesus e a Raiz do Cristianismo
Maçonaria – Filosofia do Cristianismo Primitivo
Maçonaria – O Imperador Constantino
Maçonaria – A Igreja e os Templários
Satanismo e a Heresia
Satanismo – Santo Agostinho e a Inquisição
Satanismo – Carlos Magno e a “Unidade” Cristã
Satanismo – Cabala no Renascimento
Satanismo – Magia e Filosofia do Hermetismo
This entry was posted in Maçonaria. Bookmark the permalink.

29 Responses to Maçonaria – Os Construtores Medievais e a Relação com a Igreja Católica

  1. O Mago says:

    Admin, se me permite a sinceridade achei o post bem chato.

  2. Genaro says:

    Aguardando o próximo post.

  3. Bernardo says:

    Eu já conhecia de nome esses documentos e já tinha lido a carta de Bolonha, mas nem prestei atenção nessa questão. Parabéns, mais um post didático e esclarecedor.

    TFA

  4. Luciano Paiva says:

    Cara desculpa mas não é possível que tanta gente dfiga que a maçonaria começou de verdade quando os templarios entraram pra maçonaria sem isso ter nenhum fundo de verdade.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssimo,

      Eu nunca disse que isso não era possível. Existem teorias sobre essa questão. Os historiadores Knight e Lomas foram , provavelmente, os que melhor fundamentaram essa questão.

      O que tratei nesse (e no outro Post) é que a Maçonaria não veio dos Templários e nem os Templários vieram da Maçonaria. Ambas existiram separadamente. Se depois os Templários vieram a fazer parte da Maçonaria (tendo influência direta em sua estrutura), ou não, já é outra história.

      No mais, gostaria de frisar que uma teoria não se torna verdadeira pelo simples fato de todos (ou a grande maioria) acreditarem nela.

  5. Norton says:

    Os mais sinceros parabens e votos de felicidade ao Irmão que escreve esse site. Meus Parabens .’.

  6. Gabriel P. says:

    Muito bom!

    Eu já não sabia dessa informação. Pelo que eu já havia visto, a maçonaria operativa trabalhava para a ICAR na construção das Igrejas pela Europa, porem, a ICAR não tinha conhecimento da Ordem.

    Como se a Maçonaria utilizava dessa “profissão” para realizar os encontros pela Europa. Não sabia que existia essa ligação bem próxima.

    Estou ansioso pelo próximo post, pois essa é uma das questões que nunca me explicaram direito…

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssimo,

      Essa “profissão” era o principal motivo pelo qual eles se reuniam. Ela não estava em segundo plano para que, através dela, os Maçons pudessem se reunir. Imagino que você tenha colocado dessa forma por entender a Maçonaria como revolucionária. No entanto, esse “papel” que a Ordem exerceu em diversas revoluções só veio acontecer alguns séculos depois.

      • Gabriel P. says:

        Então, pelo que entendi, a Maçonaria Operativa estava mais para um sindicato dos pedreiros?

        Abraços!

        • LH says:

          “Sindicato de pedreiros”… pode se dizer que sim, mas leve-se em consideração que os pedreiros daquela época não eram “empilhadores” de tijolos e nem “fazedores” de cimento, com o devido respeito aos atuais, aqueles eram verdadeiros artistas e escultores, tinham pleno conhecimento de Geometria, Matemática e etc… suas construções perduram até hoje, eram necessário muitos anos de estudos para se tornar um “pedreiro”, a única profissão que era permitida transitar entre reinos, pela sua importância…
          TFA

  7. Paulo Ricardo says:

    Amado Irmão,

    Como sempre, nada menos do que o excelente. Digo apenas que é uma pena que a proposta tenha sido apenas falar da relação com o catolicismo. Falar um pouco mais da Maçonaria Operativa não seria de todo mal, não concordas? :)

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Meu caro amigo,

      Em uma futura Série de Posts tenho certeza que não faltarão oportunidades para tal.

  8. Vidal Campos says:

    Caro admin, apoio o comment acima. Também tenho muita curiosidade para entender melhor a Maçonaria Operativa. Não imaginava que uma guilda de pedreiros fossem fazer algum juramento tendo o nome de Deus. Pensava em uma organização associativa mais prática.

  9. João Felipe Azeredo says:

    Com o desenrolar do blog eu imaginava ver um post um pouco mais místico dessa parte da história. Mas devo admitir que foram informações interessantes.

  10. Victor says:

    Olá admin , quero parabenizá-lo pelo excelente post e fazer uma pergunta pessoal já que sua figura é um mistério,qual a sua profissão profana ?

    Abraços

  11. Pedro says:

    Ola ADM, tudo bom?
    Gostaria de saber qual a sua opinião sobre a “lenda” de jahbulon dentro da maçonaria.
    Agradeço antecipadamente a sua resposta!

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssimo,

      Você gostaria de saber a minha opinião em que sentido? Você quer saber qual a Lenda Correta? Quer saber sobre o que quer dizer a palavra, ou até, se procede as afirmações de que a palavra se trata de um Deus-Maçônico?

      • Pedro says:

        Agradeço sua resposta!
        Então meu amigo, se fosse possivel eu me interessaria por saber toda a sua opiniao a respeito desse tema, mas, em especial ao fato de algumas pessoas dizerem que se trata de um Deus-Maçonico.
        Obrigado pela atençao!

  12. Oséias da Silva Flores says:

    Gostaria só de dar uma sugestão de um possível futuro assunto. Verifiquei aqui na internet a possibilidade de Charles Taze Russell (fundador das Testemunhas de Jeová) ser maçom. Talvez você possa nos dar um melhor esclarecimento em relação a isso. Fiquei com uma certa duvida, vamos dizer assim. Todos meus princípios (realmente eu lhe digo em verdade, todos eles, são baseados nos ensinamentos que obtive dentro das reuniões das Testemunhas de Jeová. E isso me deixou bastante intrigado. Se tiver como me ajudar a ver um pouco de luz em relação a isto. Ou me mandar uma fonte de matéria para meu e-mail, ficaria grato. (e-mail: osf182@gmail.com) Desde já obrigado.

  13. Renan'' says:

    Caro Admin,

    Parabéns pela série de textos.
    Acredito que a confusão Maçonaria x Templários também seja intensificada pela proximidade de suas histórias.
    Ambas Ordens então coexistiram e ambas trabalharam na arte da construção?
    E se sim, as teorias por trás de suas maneiras de construir são semelhantes?

    Abs”

  14. mauricio dasilva de souza says:

    gostei muito das esplicasoes muito obrigado

  15. Johrdan says:

    Pelo mesmo motivo que crucificaram jesus,aniquilaram
    Os templarios,eles eram o exercito de deus.o unico acima dos templarios era o papa
    a cabeça igreja.os templarios era grandes posuidores de terras e iquesas (tinham grande influencia. Eram poderos),isso causou medo na igreja catolica. Ela simplesmente tirou os poderes dos temparios, Matando todos,entao outro grupo secreto q ue

  16. Johrdan says:

    Entao outro grupo secreto que trabalha dentro da igreja,criado pelos proprios templarios tomou o lugar deles.

  17. ivo says:

    Entao Admin, gostaria de saber também sobre Charles Taze Russel ter sido maçom.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssimo,

      Até o momento, e de todas as discussões que já acompanhei sobre o caso, ainda não foram apresentados documentos verdadeiramente convincentes acerca dessa questão. O que vejo (e que não me surpreende) são apenas algumas teorias conspiratórias sobre o tema. Mas é claro que sempre podem aparecer novos fatos acerca do assunto.

  18. BOLODÓROS says:

    Bem a bíblia se refere diversas vezes de anjos andando sobre a terra em formas humanas.

    Pra mim os pedreiros livres eram esses tipos de seres. Que andavam sobre a terra praticando geometria impossível pra época, sem nenhum recurso tecnológico.

    Esses caras eram tão respeitados, que andavam para onde quisessem sem pagar pra passar, tinham acesso livre por onde chegassem. Esses caras tinham conhecimentos de alta magia, não existe nenhuma referência sobre nenhum deles. Eles são um anonimato ambulante pela terra. Ninguém sabe nada sobre a biografia de nenhum deles. É um segredo a 4 chaves de onde vieram seus conhecimentos.

    Hirão Abif é outro. Esses caras são de linhagens reais do cosmos na minha opnião. Com todo respeito pelos homens que são realmente massons e eu falar deles com todo respeito e reverência.

Leave a Reply to Vidal Campos Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>