Maçonaria – Jesus e a Raiz do Cristianismo

Estamos dando início a nossa nova Série de Posts e começaremos pela Categoria Maçonaria.

Como os assuntos, nessa categoria, serão diretamente ligados a Maçonaria e a Igreja Católica, precisamos apresentar (antes de começarmos a falar do Novo Testamento, da História da Igreja, dos Papas, da Inquisição e de todo o resto) sobre aquele que é o ponto mais importante do Cristianismo:

Jesus, O Cristo…

Imagino que todos concordem que Jesus seja o ponto mais importante do Cristianismo mas, curiosamente, não é consenso de que a existência de Jesus seja o ponto mais importante do Cristianismo. Tem surgido alguns movimentos que defendem (direta ou indiretamente) que é possível existir um “cristianismo sem cristo”.

Não se trata aqui de não acreditarem na existência de Jesus, mas sim, de Jesus como Cristo, aquele que é o verdadeiro filho de Deus e redentor da humanidade.

Cristo está sendo “humanizado” e seus feitos e os principais acontecimentos do Cristianismo vão se tornando simbólicos, interpretativos e não sendo algo místico, como se o Cristianismo precisasse se adaptar aos dias atuais.

São escritores e teólogos que acabam trabalhando o Cristianismo como se tudo se tratasse apenas de uma religião cuja a única importância é o comportamento moral, esquecendo que a concepção espiritual do Cristianismo tem importância na formação geral do cristianismo.

Humanizar Cristo e descrer que ele é parte de Deus, faz com que deixe de existir o princípio da santíssima trindade. Deixar de crer em tudo isso faz com que não se acredite mais que o mundo ficou “livre do pecado” após o nascimento de Cristo.

Os teólogos mais famosos, com relação a um cristianismo mais “humanizado” (onde as hipóteses pragmáticas vão substituindo as místicas) são Shelby Spong e Hugh Schonfield. Nenhum dos dois chega a retirar a santidade da pessoa de Cristo, mas, querendo ou não, acabam sendo muito citados por aqueles que o fazem.

Lembrando também que nenhum dos dois é Católico, apesar de parecer que muitos ignoram isso ao citá-los. Isso pode não parecer muito relevante, mas pode ser decisivo para se entender a raiz do pensamento de cada um deles.

[Deixarei para tratar deles em um outro momento, mas tenham certeza que o farei, já que as obras produzidas por ambos (e que não são poucas) serão muito importantes aqui no Blog.]

Para fechar essa linha de raciocínio eu gostaria de perguntar: “É possível manter o Cristianismo se retirarmos toda a mística e a santidade de Cristo e do Cristianismo?”

É importante que você responda isso para si, já que essa resposta é crucial para a forma que você irá encarar o Cristianismo daqui para frente.

Jesus Realmente Existiu?

Movimentos como o Código da Vinci despertaram a curiosidade de muitas pessoas quanto a quem seria o verdadeiro Cristo, quais eram as informações que realmente estavam na bíblia e etcs.

Começam a surgir também documentários como o Zeitgeist, diversos documentários na NatGeo (especulando sobre a vida de Cristo) e alguns livros mais céticos e pragmáticos como “Sinto Muito, Mas Jesus Cristo Nunca Existiu”.

A primeira parte do Zeitgeist afirma que a história de Jesus se trata apenas do reflexo do Mito Solar e afirma que toda a história mítica de Cristo seriam das características do Deus Sol, que foi levado para vários personagens de diversas outras mitologias, anteriores ao Cristianismo.

O Mito Solar já havia sido mencionado nas Obras de Papus e de Helena Blavatsky, no século XIX, mas só ficou realmente conhecido com documentários como esse – o Zeitgeist.

O documentário, por fim, questiona a existência de Jesus, concluindo que ele não existiu, partindo da ideia de que ele, Jesus Cristo, não foi citado pelos autores da época, sendo apenas citado por três autores: Plínio, Tácito e Suetônio. No entanto, muitos não consideram essas citações como suficientes porque estas apenas citavam um revolucionário e o nome citado não era o de Jesus mas sim o de Cristo, o que na época poderia ser usado para qualquer messias.

A citação mais simples, destas três, é a de Suetônio, que simplesmente cita “uma rebelião de Judeus, em Roma, que foi incitada por Cristo” – e não fala mais nada sobre esse. Até aí, essa referência não quer dizer nada.

A citação de Tácito é bem mais interessante, porque ele registrou o crescimento do Cristianismo, tanto em Roma como em Jerusalém, que ele registra como sendo um movimento perigoso. Nesses registros, de passagem, ele fala sobre a execução do seu fundador, que ele também chama de Cristo.

Por fim, Plínio foi o escritor que teve, de fato, contato com esses grupos de Cristãos e a única informação que ele nos dá é que este foi um movimento fundado pelo homem conhecido como Cristo.

E eis que eu pergunto: “Ter uma citação histórica que fale do Criador do Cristianismo, não é suficiente para dizer que existiu um Jesus Histórico?”

Afinal, se existiu, no século primeiro, um movimento chamado “Cristianismo” – devido ao seu fundador, conhecido como Cristo – não poderíamos dizer que já é suficiente para se afirmar que existiu um Jesus histórico?

Aqui é o ponto importante da questão. Você precisa definir o que é necessário para que você possa definir um Jesus como sendo um “Jesus histórico”. Lembrando que, para ser considerado “histórico”, certamente será preciso retirar os milagres e o misticismo.

Alguém também poderia dizer que o nome dele, verdadeiramente, não é Jesus (Yeshua) é “Zé da Cachoeira” e que, por isso, não seria Jesus. Por detalhes como esse é que eu insisto que depende do que você irá definir. O nome do criador do Cristianismo poderia ser qualquer um. O nome que a gente dá pra ele hoje não tem qualquer relevância.

Dependerá exclusivamente da sua definição para poder dizer se existiu, ou não, um Jesus Histórico.

Estudando o Cristianismo

O último Post dessa série será justamente para explicar, com mais clareza, a questão sobre o estudo do cristianismo.

Talvez não tenha ficado claro mas, quase todo o estudo da Bíblia e do Cristianismo é voltado diretamente para a “corrente de pensamento” que o aborda. Portanto, é preciso saber pontuar de onde vem o seu estudo e conhecer o que essas correntes tem a dizer.

Se você quer estudar o Cristianismo, a sério, você precisa conhecer os livros produzidos por historiadores, onde você terá conhecimento do que REALMENTE é documentado e, igualmente, precisará de livros escritos por alguns nomes do ceticismo.

Provavelmente o leitor está se perguntando qual a diferença, já que o cético certamente se baseia na historiografia para isso.

A diferença é que o cético irá fazer diversas outras análises (principalmente com relação a bíblia sagrada) que dificilmente seria explorado por um historiador. Mas vou deixar esses pormenores para o Post que está destinado a isso.

Outro caminho é a literatura mais hermética, que entende essa questão como o “Mito Solar”, ou, que admite como verdade todos os acontecimentos da bíblia e apresenta as explicações ocultistas para tal.

Também é indispensável a compreensão do que as OUTRAS RELIGIÕES tem a dizer sobre o Cristianismo. Existem (por exemplo) livros Muçulmanos para falar de Cristo e do princípio da redenção. Sem falar que, quando estudamos o Antigo Testamento, não é possível fazer isso, de forma plena, se ignorarmos a literatura Judaica.

Por fim, existe a Literatura do próprio universo Cristão e que também é muito rica. Afinal, é por onde passamos a entender a visão que elas tem da bíblia e do que é o Cristianismo. E nisso incluo a Literatura da Igreja Católica, da Igreja Ortodoxa, da Anglicana e, principalmente, da Protestante, onde cada “ministério” tem suas peculiaridades sobre algumas interpretações bíblicas bem interessantes (e que, infelizmente, foi pouco traduzida no Brasil exigindo, na grande maioria das vezes, que o leitor tenha conhecimento da língua inglesa).

Apesar de tudo, é importante ter em mente que não há muito do que se discordar quando o assunto são documentos. Pode-se até discutir as interpretações, mas não é possível, simplesmente, dizer que aquilo não existe.

Eu acho curioso como alguns cristãos acham que basta estudar a bíblia para se ter todas as informação que necessita. Estudar a bíblia é só um começo. Aliás, se por um acaso, você ainda não leu a Bíblia, não deixe isso para a eternidade.

Se você pegar uma bíblia que tenha por volta de mil páginas, pode ler TRÊS PÁGINAS por dia e, em UM ANO, você já terá terminado de ler. A bíblia é um dos livros mais antigos que você já ouviu falar. Custa tanto gastar um pouquinho do seu dia, durante um ano, para poder lê-la?

Valerá muito a pena…

 

Veja Também

Maçonaria, Inquisição e a Igreja Católica
Maçonaria – Jesus e a Raiz do Cristianismo
Maçonaria – Filosofia do Cristianismo Primitivo
Maçonaria – O Imperador Constantino
Maçonaria – A Igreja e os Templários
Satanismo e a Heresia
Satanismo – Santo Agostinho e a Inquisição
Satanismo – Carlos Magno e a “Unidade” Cristã
Satanismo – Cabala no Renascimento
Satanismo – Magia e Filosofia do Hermetismo
This entry was posted in Maçonaria. Bookmark the permalink.

44 Responses to Maçonaria – Jesus e a Raiz do Cristianismo

  1. mr.poneis says:

    Tópico interessante… Sabe uma coisa que eu sempre quis saber sobre isso tudo? Como funciona essa divisão entre Antes de Cristo e Depois de Cristo… ele tendo existindo ou não, é a partir do nascimento dele que nós contamos 2012 anos de existência até agora certo?

    Existem diversos outros calendários com diversas contagens, mas este é o oficial, e eu não consigo atinar porque… Se o nascimento Dele marca o ano 1 porque não também o mês 1 e o dia 1? Tem até esse negócio que a contagem nunca foi certeira que nem um relógio (dias a mais, a menos, meses com outros nomes e tal…)

    Sempre foi mais fácil acreditar que é porque o Cristo existiu, mas já que você está disposto a tratar do assunto acho que vale a pena prestar atenção…

    Até mais ver
    mr.poneis

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssimo,

      A data do Nascimento de Jesus, como 25 de dezembro, foi decidida (pela Igreja, obviamente) séculos depois do suposto acontecimento. Inclusive, os primeiros Cristão definiam a data do nascimento de Cristo entre Abril e Maio.

      Já o Calendário como “Ano UM Depois de Cristo’ só foi estabelecido após a criação do Calendário Gregoriano, que ocorreu no século VI.

  2. Darlan says:

    Salve Admin,

    Depois de ler esse texto já não acho o ZEITGEIST um documentário tão bom assim. Eles apresentam esses autores sem colocar as citações, e os eliminam como se fosse evidente que são citações que não servem de nada. Se você não tivesse postado isso no blog eu jamais saberia como é importante conhecê-las.

    Jesus realmente existiu? Hoje eu digo que não sei, mas até ontem eu afirmava que não. Muito esclarecedor esse texto.

  3. Acácio says:

    Até o ‘maçonaria e satanismo’ surgir, não se tinha material de internet que explicasse sobre a maçonaria de um jeito que pudéssesmos entender, e de Satanismo então, nem se fala. Com esse post já deu pra perceber que com a igreja não vai ser difenrete,. Está muito esclarecedor. Parabens a toda a equipe do Blog.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Acácio,

      Não existe uma Equipe no “Maçonaria e Satanismo”, sou apenas eu (felizmente ou infelizmente).

      • Armin Anton says:

        Gostaria de um dia ter a oportunidade de sentar em uma praça para conversar um pouco contigo e quem sabe poder absorver um pouco do conhecimento que tens. Devo meus parabéns pelo tempo que dedicou para obter todas essas informações e principalmente pela paciência, organização e pela maravilhosa capacidade que tens para esmiuçar os conteúdos, deixando eles bem explicados com analogias, facilitando a interpretação da ideia que desejas passar no texto. Seria interessantemente para minha pessoa se você pudesse compartilhar o que sabe sobre os mórmons, pois sou mórmon e gostaria de me aprofundar o máximo que posso nesse assunto, em todas as vertentes possíveis. Se puder me ajudar, eu agradeço. E claro, se um dia eu realmente tiver a oportunidade de te conhecer pessoalmente, gostaria de convidá-lo para dar uma palestra no capitulo DeMolay da qual faço parte, tenho certeza que todos iriam adorar.

        Grato,
        Guilherme Armin Anton

  4. Cleber says:

    O documentário também fala de Flavius Josephus, que foi uma fraude criada pela Igreja para fazer parecer que Jesus tinha várias das características Bíblicas.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Cleber,

      Foi quase como o Burning falou. Flavio Josefo realmente existiu, no entanto, também não foram apenas “distorções posteriores”. Foi uma fraude da Igreja sim, mas não por ter inventado Flávio Josefo e sim por ter criado todas aquelas referências e acrescentado ao material original de Josefo, como se tivesse sido escrito por ele.

  5. Burning says:

    @Cleber, Flavius Josephus parece que realmente existiu. O que aconteceu mais certamente foram distorções posteriores que se acumularam.

    @Admin, a colocação Se você considera que é “histórico”, certamente você vai precisar retirar os milagres e o misticismo não seria ingênua, considerando o misticismo mais relaxado e comum daquele momento? Quero dizer, se até hoje há quem acredite em milagres na esquina sem contestar, não seria, no máximo, irrelevante para o momento em questão?

    • Gabriel P. says:

      Concordo Burning!

      Referente a Jesus, talvez nada possa ser descartado.

      Porem, vou aguardar o proximo post para ai tirar as minhas conclusões.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Burning,

      Na verdade, não se trata de consideramos ou não. Me referi apenas a questão do fato histórico. Para ser considerado um fato histórico é necessário que exista alguma prova disso. E, se não é possível provar (pelo método científico) a existência dos fenômenos ocultistas, quem dirá provar que Jesus os fez. Entende o que quero dizer? Isso não quer dizer que iremos (ou que devemos) ignorar as dezenas de relatos místico-ocultistas que tivemos na humanidade.

  6. Francisco says:

    Admin, primeiro parabéns pelo seu blog. Segundo, você poderia indicar alguns bons livros sobre cristianismo e apontar que tipo de visões eles trazem? Estou interessado principalmente em ler algum livro que traga uma visão histórica do cristianismo (algo que me traga esclarecimentos além da bíblia, é claro), porém fiquei curioso quanto à visão muçulmana de cristo.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caro Francisco,

      Sim, mas como você pode imaginar, essa é uma indicação muito trabalhosa. Pretendo fazer um Post, após acabar a série, para indicar esses livros “e as visões que eles trazem”.

  7. Cesar says:

    É, Jesus não tem tanta história como parece……………….

  8. Régis Müller says:

    Olá. bom dia. Pode ser um pensamento um pouco fundamentalista, segundo o caminho proposto, mas enfim, o Cristão considera a Bíblia Palavra de Deus, desta forma, considerar Jesus apenas história, estará considerando, consequentemente, que Deus é mentiroso, ou que a Bíblia não é a Palavra de Deus. Por isso é de fundamental importância a leitura extra Bíblia. Alguns que acho muito interessantes são: HÄGGLUND, Bengt. História da Teologia; GONZALES, Justo (Todos os livros); TILLICH, Paul. História do Pensamento Cristão; Agostinho, etc.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssimo,

      Você está certíssimo e esse é o grande problema nessa questão. Se você resolver retirar o misticismo presente na bíblia (como fazem os dois autores que citei no Post) será que o Cristianismo ainda continuaria sendo, verdadeiramente, o Cristianismo? Em contrapartida, eles não estão errados em seu posicionamento, afinal, você acha racional ignorar os fatos (depois de conhecê-los) e querer impor como verdade algo que não apresenta fundamento?

      No mais, ótima bibliografia. Paul Tillich já é parte da lista que irei apresentar (e não só a História do Pensamento Cristão), ele é um autor, sem sombra de dúvidas, essencial. O “História da Teologia” é famoso e muito bom, mas eu não o coloquei na Lista. Quanto ao Gonzales, eu nunca tinha ouvido falar. Procurei rapidamente e me pareceu um autor de credibilidade. Vou adquirir umas duas obras dele para ver a profundidade – agradeço a recomendação.

  9. Dario says:

    Interessante como um post sobre Jesus pode fazer tanto sucesso num blog que fala de satanismo, shaushauhsauhsauhsa

  10. bom, muito bom mesmo… mais só lembrando que Cristo se fez homem… sentiu dor, fome, sono, e chorou… contudo ele operou maravilhas em forma de homem. Entretanto após sua morte nota -se o apogeu do negocio todo… Ele ressuscita no terceiro dia, onde deixa a perceber que é em sua gloria total… apesar de estar narrando a bíblia, eu vejo que a bíblia é o único lugar em que posso buscar informações a respeito de Jesus Cristo. Mais finalizando pq ele não poderia ser homem? não do jeito que somos é claro. Mas simplesmente pelo fato Dele ter todo o poder… sem querer discordar de ninguém… mas simplesmente me expressando…

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssimo,

      Se ele for homem, mas não do jeito que somos, então não estamos falando de um homem. Na verdade, a questão é que, se ele for considerado apenas um homem, e perder a “divindade”, isso destruiria as bases Cristãs.

  11. heider says:

    eu gostaria de saber mais profundamente sobre o a sunto de q todo maçom tem q entregar um parente todo ano se puder responder muito obrigado. se nao der tudo bem

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssimo,

      Você não acha que se essa história tivesse algum fundamento isso já não teria se tornado “caso de polícia”? Isso sem falar nos membros que já estão na Ordem por mais de 30 anos. Eles teriam entregue 30 parentes para sua Loja?

      • Roberto says:

        Sem acreditar que a cada ano tem que entregar algum parente, mas não podemos deixar de fora rituais com pessoas como eu ou você, como preferem chamar de holocausto.

        Existem sim muitos casos de polícia apontando para rituais feitos com pessoas, que por algum motivo o lugar teve que ser abandonado as pressas, deixando vestígios, mas são abafados imediatamente e apesar de terem virados caso de polícia não viraram caso público o que é bem diferente. Mas registros dos assassinatos ritualísticos, multilações etc existem.

        Temos que levar em conta onde a lei dos homens está baseada, então vemos que não é tão difícil assim ocultar casos de polícia.

  12. raph says:

    É interessante como, no meu caso, foi um filme que despertou meu interesse para esse Yeshua histórico, humano, falível e, exatamente por isso, ao menos na minha opinião, tanto mais grandioso que o “ser divino” da visão cristã “oficial”. Estou falando de A Última Tentação de Cristo, que surpreendentemente é baseado no livro de um agnóstico…

    Equiparar Yeshua a Deus talvez não seja aumentar muito a Yeshua, que já foi grande pelos nossos parâmetros. Mas é diminuir MUITO a Deus… Afinal, foi o próprio Yeshua quem disse que faremos tudo o que ele fez, e ainda muito mais. E não é concebível que possamos “fazer mais” do que Deus.

    Abs
    raph

  13. Jacó says:

    Eu li a Bíblia de Lavey, achei interessante mas ao mesmo tempo muito ligada ao material, ao conformismo de que somos assim e que não devemos mudar em nada. Acredito que o homem deve buscar o melhor, uma evolução, um aperfeiçoamento. É engraçado! Ele tem senso de humor, chama os buscadores de luz de “white light” e despreza pra valer os mesmos. Daí percebi que Pike estava falando disso quando disse que a doutrina do satanismo é heresia (ser contrário). Lavey fala que esse papo de Karma é balela e que nós devemos ser a própria lei do retorno. Confesso que li porém não me idenfiquei totalmente com o satanismo, em partes sim em outras não. Acho a Maçonaria mais interessante e completa.

  14. JACÓ says:

    Como é esplêndido forma que se encaixam o VT e o NT, como ISAÌAS ´já profetizava a vinda de CRISTO, que já existia na trindade lá na fundação do mundo, DEUS se fazendo homem e se sacrificando p reesabelecer a paz enre ELE e os homens quebrada no éden por ADÃO E EVA ao desobedecer a DEUS, dando ouvido a serpente (o diabo), um anjo que quis ser DEUS, e hoje ainda engana aos homens (ADÃO E IVO, hoje em dia), de várias maneiras, entre elas doutrinas vãs, falsas. JESUS o único que é Deus. Parabéns pelos posts.

  15. Jacó says:

    Eita tem outro Jacó aí, sou eu não hein.

  16. Franco-Atirador says:

    Zé da Cachoeira…

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssimo,

      Não pude deixar de notar que você fez dezenas de comentários no Blog. Os li e estarei respondendo-os até semana que vem, no máximo…

  17. Leandro says:

    Acho explendido um autor que aborda satanismo e maçonaria escrever posts tão equilibrados e sem ser um “anti-cristão”, parabens pelo seu trabalho. Acho que as potencias maçonicas regulares tinham que apoiar o seu trabalho, não conheço ninguém no Brasil que escreva algo esclarecedor como você faz de maneira tão leve, equilibrada e livre de extremismo e respeito com a religião da maioria da população do Brasil. Uma coisa é certa, se nosso Senhor Yeshua(o Cristo) estive conosco de forma fisica, nosso mestre ficaria horrorizado com que o cristianismo se transformou, ao invez da religião cristã ser um instrumento de amor e de união, hoje tem sido um instrumento de intolerancia e preconceito. Falo com propriedade, pois sou cristão evangelico a mais de 20 anos. Se bem que não foi Cristo que fundou o “cristianismo” mas sim Paulo, para Cristo o cristianismo era apenas uma ramificação do judaismo.

  18. Mariana says:

    Não tenho conhecimento nos assuntos maçonicos e/ou satanicos.
    Mesmo assim percebo o excelente trabalho que tem feito.
    Acredito que quando alguma coisa tem que ficar escondida, ou como preferem dizer, oculta, indica alguma perversão das coisas onde provavelmente seria criticada ou expurgada por todos. Por isso tem que ser secreta. Hoje nem tanto, mas também acho que o tanto que está sendo desvendado, não é ao acaso, mas o que realmente é secreto jamais será desvendado pelo homem que participa de tais “ordens”.

    Me parece que tais rituais, idéias e segredos seriam rejeitados pelos próprios participantes, já que pra obter mais “conhecimento” tem que avançar para um outro grau. Muito parecido com algum método de lavagem cerebral, quando um já tem um “conhecimento” e já está acostumado com algumas idéias, avança mais um grau.

    Quando porventura atingir um grau alto onde começa a ter mais consciência do que realmente se trata, já está completamente envolto e inserido nos processos.

  19. Mariana says:

    O processo não se assemelha aos processos de como Sata atua, como alertado por Jesus? Oferecendo conhecimento, apoio, poder para depois se mostrar realemente. Sata nunca sai se apresentando primeiro. Por isso, vigiai, tantas vezes na Bíblia.

    Acho que algumas religiões seguem preceitos semelhantes, com um caráter mais suave, como o Budismo. Interessante ver como o Budismo difundiu rapidamente nos últimos anos, inclusive em uma palestra de um “lama”, ele mencionou a importância do trabalho dele de trazer a religião para o ocidente de forma mais enraizada. Colocou no seu discurso como uma prioridade e como se fosse uma corrrida contra o tempo. O Budismo tem característica semelhante as essas ordens, onde prega que cada um atingir a iluminação (ou ser lucifer).

    Muitos já se consideram quase deuses, até em pequenas discursões de blogs dá prá reparar isso, onde um quer vencer com o troféu que foi mais tolerante, mais paciente, so falta verbalizar mais misericordioso.

  20. Eduardo says:

    Olá, sei que a pergunta não tem relação com o tópico, mas existe alguma relação entre cabala e os signos do zodiaco? Um dia escreverá sobre eles? Obrigado pela atenção.

  21. Fabiane Rodrigues says:

    Eu não sei de onde você tirou a ideia de que Jesus tenha sido o criador do cristianismo? Peço que analise esse ponto e depois escreva algo mais coerente.
    Em toda a a bíblia eu nunca vi essa passagem e nenhuma citação de Jesus dizendo que destruiria o judaísmo para criar uma nova religião.
    Insisto! Comece sua pesquisa novamente e leia a bíblia.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      [As vezes eu fico me perguntando se esse tipo de comentário é sério ou se é só para testar a minha paciência. Mas vamos lá, vamos partir do pressuposto que a Fabiane esteja falando sério...]

      Caríssima,

      “Eu não sei de onde você tirou a ideia de que Jesus tenha sido o criador do cristianismo?”

      Sabe o que eu acho mais engraçado nesse tipo de pergunta? É que bastaria ter lido o texto para saber do que eu estou falando. São citações de historiadores da época. Em que momento você me viu citar Bíblia para falar disso?

      Bem, não viu porque você nem leu o texto… Mas como, pelo visto, você é uma das pessoas que aceita a bíblia como uma verdade histórica, nem adianta ler. Continue lendo a sua bíblia que é o melhor que você faz mesmo…

  22. Julio says:

    Jesus Cristo existe! Ele é o próprio DEMÔNIO da Terra. Hahahhaha.
    Odeio Jesus Cristo. Eu sou satanista convicto, e muito feliz por isso! Jesus e Lúcifer são a mesma pessoa.

  23. Julio says:

    Satanistas, me adicionem, vamos fazer uma revolução satânica já! Vamos pisar na cabeça do cordeiro malígno e arrancar a cabeça dele fora? Vamos esmagar a maior merda da Terra conhecida como Jesus Cristo? Amo satanismo. Sou sádico.

  24. Wilmer Rowe says:

    Por outro lado, com toda a justiça, deve-se dizer também que qualquer observador objetivo poderá encontrar vestígios do cristianismo original em cada uma das denominações do cristianismo protestante e tradicional, muito do que é bom, piedoso e digno de louvor. Agora, antes de passarmos para o outro tópico, gostaria de falar sobre o meu reformador favorito, Roger Williams. Roger Williams era um corajoso e independente pensador tão dedicado à verdade de Deus que estava disposto a sacrificar tudo por ela. Este exímio estudioso e teólogo de Cambridge fugiu para a América a fim de escapar da perseguição religiosa, somente para descobrir que os puritanos do estado de Massachusetts praticavam o mesmo tipo de perseguição.

  25. Odhai says:

    Uma pergunta, pra que eu possa saber sobre o autor do site pra que possamos discutir sobre assunto de todos os interesses seria você um cético?

    Obrigado.

  26. O HERMETISTA says:

    EM MINHA OPINIÃO não vejo nenhum motivo racional para que o cristianismo não pudesse existir sem cristo, já que outras tantas religiões tem como base fabulas e mitologias (sem considera-las na vulgata das mentiras), em nada este fato poderia impedir que as pessoas continuassem a ver a figura (real ou não) de Jesus Cristo como um exemplo a ser seguido em pró da evolução espiritual (principalmente conhecendo o poder/caráter materializador das ideias). Pelo mesmo motivo também acredito ser possível manter o cristianismo sem a “mística e a santidade(qualidades muito subjetivas)” mas com certeza o perfil dos seguidores mudaria, o rebanho diminuiria mas em compensação seriam muito mais sensatos.
    Sobre a existência histórica de Jesus, a arqueologia pode ajudar muito aqueles que querem crer, existem descobertas que levam a este entendimento, o grande numero de crianças mortas no período da ‘Lenda’ que Herodes mandou matar as crianças até 3 anos é apenas um exemplo.

  27. O HERMETISTA says:

    A correntes (rastafári por exemplo) (sou simpático a elas) que defendem o nascimento de cristo no período do signo de Leão.
    Jesus ensinou que somos o templo vivo de Deus pai e que todos nós carregamos o poder do divino, somos apenas homens e mesmo assim divinos, não entendo como o “Jesus homem” abalaria as bases do cristianismo puro.
    Aliás este conceito de carregarmos a força divina só foi mascarado pela igreja católica de Roma e as outas seitas que as defendiam foram “falidas”. Hodiernamente este preceito cristão é mais praticado pelos ocultistas e quiçá pelos satanistas do que pelos próprios “cristãos” ( é impressionante como se faz mister as aspas nesses temas teológicos).

  28. Cost says:

    Se Jesus existiu?
    Falam até que o holocausto não existiu? Mas há evidências no PASSADO
    E tantas outras coisas que falam que não existiram. E são respaldadas por historiadores famosos. E param por aí, porque senão podem ser descobertas.
    A Bíblia fala que Jesus existiu no Passado, e também de coisas que acontecerão no Futuro.
    Quem não acredita no passado ou no presente, ainda, poderá ter o futuro, talvez, para comprovar se estava certa ou errada da existência de Jesus Cristo!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>