Satanismo e a Thelema

Em nosso último Post, da categoria Satanismo, tivemos um Post adicional, que não estava programado, para falarmos sobre os “Corpos Espirituais” e facilitar o entendimento sobre o que vamos tratar nesse Post.

Falaremos hoje sobre a Doutrina de um dos maiores ocultistas da história, o famoso Aleister Crowley.

Crowley fundamentou sua filosofia no Caminho da Mão Esquerda. Ele é um prato cheio para o mundo cristão o acusar de satanista e de senhor do mundo das trevas.

É curioso ressaltar que Crowley não é bem visto por muitas pessoas do mundo iniciático por ter sido considerado uma pessoa entregue a luxúria e alguns instintos exagerados. Mas, a verdade é que muito é falado mas bem pouco é realmente inquestionável.

No geral, há muita especulação e as pessoas acabam se prendendo a isso e deixando de discutir a doutrina em si.

A Doutrina de Thelema foi a que tornou Crowley conhecido e estudado até hoje.

Thelema

Muito se discute, acerca de Thelema porque sua doutrina não é clara nas obras de Crowley. Os caminhos não estão totalmente esclarecidos, ou seja, não são sólidos o suficiente para que alguém possa imperar uma opinião sobre ela que não seja passível de interpretação. Isso faz com que existam divergências sobre o entendimento da mesma.

A Thelema é a doutrina que trata da “Verdadeira Vontade”.

Eu poderia aqui dar uma definição sobre o que exatamente é a Verdadeira Vontade, mas eu já estaria começando com alguns problemas.

Se eu estivesse simplesmente falando sobre Thelema, dentro de um outro Post, eu falaria rapidamente e daria alguma definição (e que seria bem diferente do que estou escrevendo aqui), mas não é esse o caso. Como eu disse, é difícil definir a Thelema de forma que não existam interpretações sobre ela.

No geral, a Verdadeira Vontade será sempre colocada como um fator determinante na vida do indivíduo. Algo que está tão ligado a sua essência que pode ser descrito como o verdadeiro caminho que a pessoa deveria seguir na vida. Além disso, existe também um entendimento de que se você sai por aí fazendo tudo o que tem vontade você não está realizando a sua Verdadeira Vontade (mesmo que você ache que está).

Logo, a concepção que se tem sobre essa questão (utilizando as próprias obras do Crowley) é de que a Verdadeira Vontade é um objetivo ou caminho que está tão ligado a essência do ser que é aquilo que ele deve descobrir e seguir para toda a sua vida, sendo que, os desejos mundanos e primitivos jamais deveriam ser considerados a Verdadeira Vontade de alguém.

Até aí, não há do que discordar, no entanto, as mesmas obras de Crowley também nos fazem refletir sobre essa Vontade não se tratar de algo em específico, mas sim de um conjunto de coisas que moldam a sua essência e tudo aquilo que você deseja verdadeiramente.

Dessa forma, meu entendimento particular dessa questão é algo que está longe de ser consenso e que vem da “forma de pensar” do Satanismo de LaVey.

A Verdadeira Vontade vai além do que realizar apenas um grande caminho e que tem objetivos “nobres” (no sentido de não estar ligado aos objetivos mundanos). Ela também está ligada as suas atitudes e decisões diárias que fazem parte daquilo que você é, em essência.

Vamos a um exemplo (sempre bom para ilustrar).

Imagine alguém que sentiu vontade de trair a esposa (esposa essa que ele já está casado há anos). Alguns vão dizer que esse alguém deveria trair, pois é assim que entendem a doutrina de Crowley. Era isso que o homem queria fazer e isso é o “Faze o que tu querer há de ser o Todo da Lei” (que é uma frase famosa de Crowley). Incrivelmente, existem “Thelemitas” que defendem isso.

Uma outra forma de enxergar essa questão (e é a mais comum – para aqueles que se deram o trabalho de ler as obras) é de que essa é a vontade “efêmera” e que a Verdadeira Vontade seria não trair a sua esposa já que, verdadeiramente, você não deseja esse sentimento de querer traí-la. Segundo essa visão, atingir a Verdadeira Vontade seria não traí-la.

Perceba que isso limita a Verdadeira Vontade ao domínio do Plano Físico (e aqui começa a importância do Post anterior). Ainda temos o Plano Astral, das emoções, que alguém ainda poderia dizer: “A Verdadeira Vontade consiste em eliminar as emoções que surgirem e que estejam contrárias as atitudes nobres”.

No entanto, vou apresentar aqui uma terceira forma de enxergar essa questão. Atingir a Verdadeira Vontade seria sequer desejar trair a sua esposa. O que implica no domínio do “Físico, do Astral e do Mental”.

Você vê a diferença, na prática?

Uma coisa seria não traí-la, por considerar um desejo efêmero e por você saber que você não quer isso, verdadeiramente. E outra bem diferente é não sentir esse desejo, porque essa é sua “Verdadeira Vontade”.

Está longe de ser algo simples mas, se você casa com alguém, muito provavelmente você não gostaria de ter atração por outras pessoas e o ideal seria realmente não ter esse sentimento – nem no plano das ideias.

Não fosse assim não haveria tanta dificuldade em atingi-la. Aliás, lhes digo ainda que, se assim não fosse, essa questão não seria encarada como algo que se deve “dominar”, mas sim uma ideologia de vida. Seria reduzir a Verdadeira Vontade ao domínio mais simples do Plano Físico.

Particularmente, essa foi uma interpretação bem clara, ao ler as obras de Crowley (que não se limitam apenas ao Liber Al Vel Legis). Mas é uma interpretação que surge, dessa forma, quando você se baseia em correntes místicas (menos ocultistas e mais voltadas às concepções do universo) como a “Teosofia” e o “Rosacruscianismo de Max Heindel”.

Não apresentarei aqui, passo-a-passo, as relações das obras de Crowley com esses caminhos, pois ocuparia várias e várias páginas. Mas quem sabe eu apresento isso quando os assuntos do Blog acabarem.

“Pois vontade pura, aliviada de objetivo, livre do desejo de resultado é, de todo modo, perfeita” – Liber Al Vel Legis

Thelema no Satanismo

Bem explicada ou não, no Satanismo a Thelema está dentro de um contexto e é fácil encontrar diversas citações referentes a idéia de Thelema. Fico com a impressão, as vezes, de que a doutrina de Crowley foi feita para ser colocada no Satanismo de LaVey (mas isso é impossível, antes que alguém resolva considerar isso, realmente, como uma hipótese).

A ideia é atingir um nível de domínio dos planos que sua mente esteja verdadeiramente livre para desejar aquilo que ela REALMENTE deseja.

Ceder fisicamente a instintos primitivos, acreditando que é o que você realmente deseja, é estar tão preso quanto qualquer um que você julgue ainda não estar “desperto”. Entretanto, há de se considerar que até chegar ao nível de domínio dos corpos espirituais é importante deixar que a “ideia” e o “desejo” (e não o impulso) se manifestem por completo. Só assim você saberá lidar com toda a força que ele pode ter – e também, permitir-se conhecer a raiz dos seus próprios instintos.

A Essência dos Desejos

Para terminar, digo ainda que foi o Satanismo que me fez enxergar a doutrina de Crowley por um caminho diferente do habitual (que era “tentar descobrir qual era a sua Verdadeira Vontade” – que, em minha opinião, faz com que o tema seja tão complicado de se refletir).

No geral, tentar pensar dessa forma faz com que as pessoas acreditem que exista uma única e Verdadeira Vontade e não conseguem entender que isso é algo que faz parte do Ser, como um todo.

Vou mais além e entendo a Thelema como a “Essência dos Desejos”. O “primeiro princípio de todas as vontades”.

E o que me fez pensar que existe uma Essência para isso?

Volto a dizer, foram as fortes correntes do Misticismo, tão “deixadas de lado” por tantos ocultistas – mais voltados a “prática” do que com a “compreensão” – que me fizeram associar tudo isso.

O grande problema é que aquele que contempla o Mysterium Magnum de Jacob Boehme, ou as explanações sobre a Mônada, de Alice Bailey (que, em ambos os casos, ao falar da essência do ser, nos permitem essa interpretação, quando associado a Thelema) não estão preocupados em conhecer os pensamentos de Aleister Crowley

Da mesma forma que os envolvidos com Magia Prática, Thelema, Teurgia, Magia do Caos, Magia Enoquiana (e todo o universo de práticas da Golden Dawn) não se interessam pelo “outro lado”.

Por fim, você pode entender a Thelema de outras formas, como já foi dito. Claro que, mesmo aberta a interpretações, é importante lembrar que um embasamento sólido (dentro das doutrinas iniciáticas) acaba se fazendo necessário para ser possível um desenvolvimento mais amplo, a partir de um ponto de partida.

Espero que o Post tenha sido proveitoso (já que ele ultrapassou o tamanho ideal).

 

Veja Também

Satanismo e o Existencialismo
Satanismo e a Filosofia de Nietzsche
Satanismo e a Virtude do Egoísmo
Satanismo e a Lei de Talião
Satanismo e os Corpos Espirituais
Satanismo e a Thelema
Satanismo e a Magia Enochiana
Satanismo e a Sagrada Magia de Abramelin
Satanismo – Missa Negra e a Magia do Caos
This entry was posted in Satanismo. Bookmark the permalink.

41 Responses to Satanismo e a Thelema

  1. Leo Peixoto says:

    “Incrivelmente existem “Thelemitas” que defendem isso.”

    Incrível é pouco, é inacreditável. Eu conheço alguns que são assim e sempre me pergunto de qual fonte eles extraíram isso.

  2. Luque says:

    Salve ADMIN

    Eu não conheço muito a Teosofia, mas que tem um grande preconceito por parte dos magistas, isso tem mesmo. Nunca havia me interessado porque ainda não tinha visto pessoas de credibilidade defendendo o assunto, mas reconsidero, vendo que você, que domina muito desses temas, defende essa linha de pensamento.

  3. Paulo Ricardo says:

    Enxergar a Thelema pelo prisma do misticismo é algo que eu nunca tinha visto, mas que me fez pensar.

  4. Matheus says:

    Esse é pros nossos atuais Thelemitas. Fantástico!!!1

  5. Rodolfo Lima says:

    Boa Noite Ir.”.

    Como sempre, mais um post com tema pouco claro na internet e que você esclarece com tanta maestria. Me lembrou seus artigos sobre os caminhos da mão direita e os demais. Um conteúdo claro e único.

  6. Rodrigo says:

    Vou mandar para o Hadnu ler (você o conhece?). Pensando bem, ele já teve ter lido, rs (do grupo).

  7. Stella says:

    Desculpa a sinceridade mas nao sei se isso aí está certo não.

    Nunca vi nada parecido sobre o assunto. Bjs

  8. Douglas Hernani says:

    Boa noite, caro Autor do Maçonaria e Satanismo,

    Dei uma lida no seu post sobre ‘maçonaria para não-maçons’, no tdc, e acho que algo parecido acontece com os thelemitas. Os materiais são bem fracos e acaba sobrando muito pouco para um estudo sério e que de para se aprender e de passar adiante.

    Já li o Liber Al Vegis também mas não entendi nessa forma, porque não entendi muito bem ele, eu admito isso, e me fez ver qe é importante ter um conhecimento prévio para se entender a thelema como deve ser.

    Parabéns pelo post,

  9. Maurício says:

    Que a força esteja com você .!.

  10. Zé Roberto says:

    Existem segmentos para a Thelema?

    Grato.’.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Não. Thelema é Thelema (a não ser que você esteja se referindo a grupos thelemitas).

  11. Marcelo says:

    Caro Admin,

    Fiquei supreso com o seu exemplo de Verdadeira Vontade. Eu sempre entendi Verdadeira Vontade como se fosse a essência de cada pessoa e que no plano das ações, implicaria em fazer aquilo que se ama, como por exemplo ser um médico ou enfermeiro (que ama cuidar das pessoas), ser um engenheiro (que ama construir), ser um empresário (que ama administrar), ser um professor (que ama ensinar) e por ai vai.

    O próprio Del Debbio defende que cada um tem sua essência e que no transcorrer das encarnações, voltamos nossas ações sempre para essa vontade. Apenas para exemplificar (e talvez simplificar e muito), é como se o curandeiro de uma tribo do passado fosse o médico na atual encarnação, como se o engenheiro que projeta carros hoje, irá em uma reencarnação futura, projetar naves espaciais.

    No exemplo que vc passou, entendo ser uma busca de aprimoramento comum a todo e qualquer ser vivo (domínio do Físico, do Astral e do Mental), o que contribui efetivamente para viver plenamente a sua Verdadeira Vontade, seja ela dedicar-se a música, a cuidar da saúde de outras pessoas ou qualquer outra verdadeira vontade.

    Abraços.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      “Eu sempre entendi Verdadeira Vontade como se fosse a essência de cada pessoa e que no plano das ações, implicaria em fazer aquilo que se ama”

      Mas isso não é menos verdadeiro, devido ao que eu apresentei. A questão é que nós vemos essa questão, costumeiramente, como se a Verdadeira Vontade se tratasse, exclusivamente, daquilo que consideramos nossa essência. A questão é que sim, se trata da nossa essência, mas a forma com que a gente mensura isso é que é complicado. Não dá para dizer, simplesmente, que a essência de uma pessoa se resume a ser, sei lá, um Engenheiro. Há uma série de vários outros fatores que a compõe, como o exemplo que eu dei, do homem que não quer trair a sua mulher (e que, no mundo ideal, não teria qualquer sentimento ou ideia com relação a isso, já que ele verdadeiramente não quer que isso aconteça)…

      • Marcelo says:

        Realmente… é simplificar demais.

        Aliás… excelente post.. como sempre!

        Espero que continue com o excelente trabalho.

        Abraço

        • Rafael says:

          Acho interessante lembrar da árvore da vida, no caso. Tiphereth, que representa essa verdadeira vontade, está acima do plano dos sentimentos, idéias e materialidade. A Verdadeira Vontade é a raiz destas expressões, e não o contrário, de modo que acredito que ela represente a própria sintonia essencial de cada pessoa.

  12. José says:

    “Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério.
    Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.”
    Mateus 5:27-28

  13. José says:

    “A esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira,
    E com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem.
    E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira;
    Para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniqüidade.”
    2 Tessalonicenses 2:9-12

  14. Caibalion says:

    Meu caro,
    Estava em viagem e somente agora me foi possível postar. Mas vamos lá. Vou ser um pouco prolixo, sorry!
    1- Vontade. Aí está um ponto complicado. Tenho costume de fazer paralelos entre psicologia e ocultismo. Não espero reduzir todo o ocultismo à psicologia, mas não tenho dúvidas que o processo envolve muita psicologia. Não obstante, quando se fala de vontade a questão fica difícil. Para a psicologia, vontade é manifestação da consciência. Vontade é deliberação pura e simples. É o que decido fazer, contra ou a favor de meus desejos e instintos. Desejo, por outro lado, é manifestação do inconsciente. O nascimento do desejo não depende do querer (vontade da pessoa) mas pode ser pela vontade contido ou manifestado.
    Ocorre que no ocultismo em geral os termos parecem ser imbuídos de muito equivocidade. Ora se fala vontade querendo se dizer desejo. Ora se fala desejo querendo se dizer vontade. Ora os termos coincidem com a psicologia.
    Quando leio Levi, fico com o entendimento de que vontade é a vontade da psicologia. Vontade de consciência mesmo. Ato puro e deliberado da consciência. Mas quando leio Crowley (o que foi muito pouco mesmo) ou sobre thelema, a impressão que tenho é outra. A Verdadeira Vontade se igualaria a algo que não vem da consciência puramente e fica difícil enquadrar ou traduzir para os termos da psicologia.
    Mesmo na sua interpretação, não consigo, ao fim e ao cabo, indentificar se a tal da Verdadeira Vontade é um simples ato de consciência ou se se trata de manifestação do inconsciente. Acredito que é a primeira.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Mesmo na sua interpretação, não consigo, ao fim e ao cabo, indentificar se a tal da Verdadeira Vontade é um simples ato de consciência ou se se trata de manifestação do inconsciente. Acredito que é a primeira.

      De fato, meu caro, eu também não saberia dizer. Apesar de considerar importante, eu nunca me dediquei, de forma profunda, na relação das questões psicológicas/ocultistas. Já li algumas das obras de Jung, que considero com uma relação mais “direta” com o ocultismo, mas não fui além disso.

  15. Caibalion says:

    2- Thelema e Satanismo – não me apego aos preconceitos que comumente são endereçados à Crowley. Não obstante, até onde consigo acompanhar, não vejo diferenças entre o Satanismo de LaVey e Thelema, principalmente quando se avança no livro da Lei e se colhe aforismos como: “os escravos servirão”, “não há Deus senão o homem”, etc. São assertivas que refletem de forma integral o Satanismo. Ou estou equivodado?. Além disso, outra coisas me intrigam: Jack Parsons, satanista tradicional declarado, criticava seus pares (thelemitas) por pretender um satanismo sem Satã. Outro ponto que me chama a atenção é o fato de a OKRC ter declarada restrição a Thelema aliado ao passado de combate ao satanismo.
    Já vi muita discussão sobre thelema e satanismo e sei até de uma distinção que os thelemitas costumam defender, qual seja, a de que os meios são os mesmos, mas a finalidade é diferente, porque em thelema o objetivo seria “cruzar o abismo”.
    Mas aqui também tenho certas dificuldades porque essa lógica de justificar os meios pelos fins é complicada e isso vai nos projetar na questão dos caminhos, que vc, prudentemente, fiel a proposta inicial, projetou para outro momento. Mas, de qualquer sorte, tenho também minhas dúvidas aqui. Primeiro porque, ao que penso, nem Crowley cruzou o tal do abismo, porque um sujeito que termina dependente de drogas não pode ter cruzado o abismo. Não pode ser senhor de sua vontade. Preconceito? Talvez. Mas vou ainda a outro ponto: Como se pode pretender ao cabo construir se se inicia destruindo os pilares de sustentação? Explico: se a vontade é este ato deliberado da consciência, então não pode haver vontade sem ego. Pode-se até falar de certa consciência sem ego. Mas vontade sem ego é impossível. Ora, os caminhos de thelema e da mão esquerda em geral buscam quebrar as resistências aos impulsos e controlá-los na consciência. Até aqui perfeito. Não obstante, são as defesas que constroem o ego, e via de consequência, a vontade. E sair quebrando ego para chegar ao self me parece um erro. Esse é o tal perigo de justificar os meios pelo fim. Acredito que o problema não é o ego, mas sim a sua rigidez. O problema não é eliminar tudo em volta do self para a sua emergência. A grande questão é colocar o ego centrado no self. Só assim é possível submeter os instintos à vontade. Mas isso não equivale a romper todas as defesas, e sim reelabora-las conscientemente.

    3- Que outra coisa é o fazer a própria vontade sobre seus próprios instintos senão SACRIFÍCIO?. E qual vertente tem no sacrifício a sua principal simbologia? “E ninguém chega a mim se não toma a sua cruz e me segue” (Mateus, 10, 38). Essa vontade tá cristão demais, meu amigo (kkkkk).

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      2 -

      “(…)São assertivas que refletem de forma integral o Satanismo. Ou estou equivodado?”

      De forma alguma, meu caro. Inclusive, compartilho da mesma ideia que você. Quanto mais profundo você for, em ambas as doutrinas, mas gritante é essa relação.

      “Jack Parsons, satanista tradicional declarado, criticava seus pares (thelemitas) por pretender um satanismo sem Satã.”

      É, essa galera do “satanismo tradicional” é um pouco complicada. Como você já sabe, vou tratar disso no futuro.

      3 -

      Tem toda razão, rs. Mas se Crowley estava certo, e a “Verdadeira Vontade” é uma realidade universal, não poderia ser diferente.

      Excelente observação….

      • Caibalion says:

        Como já lhe havia dito anteriormente, minhas afirmações em torno da mão esquerda, satanismo e thelema são fruto de especulações minhas no curso de minhas leituras e reflexões. Mas como nunca trilhei satanismo ou mesmo thelema, fico sem saber se estou viajando na maionese ou se minhas especulações têm fundamento. E como é difícil encontrar alguém com o conhecimento bem fundado no assunto, como é o seu caso, para que possamos expungir estas dúvidas. Portanto, não posso negar que fico muito feliz que vc concorde com esta congruência entre satanismo e thelema. Tomei muita “porrada” por defender a tese de que thelema é satanismo.
        Thelema, em particular, está em minhas reflexões desde minha adolescência, só vindo a saber que se tratava de thelema ou mesmo quem era Crowley muito tempo depois.
        É que fui e sou fã incondicional de Raul Seixas e as idéias de Raul sempre provocaram em mim, ao mesmo tempo que aprendizagem, admiração e concordância, um debate intelectual profundo, debate que me levou ao ocultimo e a algumas pesquisas de thelema e satanismo.
        Por isso quando vc começou seu blogue e ao perceber a profundidade de suas dissertações, vislumbrei uma grande oportunidade para aprofundar e esclarecer pontos deste eterno debate com Raul.
        Grato e grande abraço.

        • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

          Fico feliz em poder contribuir, meu Caro… Sou eu que agradeço pela sua participação sempre enriquecedora.

  16. raph says:

    O único que você pode realmente trair é a você mesmo, ou ao próprio amor. Não existe casamento, existe apenas amor, assumindo várias formas, se depurando, passo a passo, um pensamento de cada vez…

  17. pedro says:

    Entendo a Verdadeira Vontade como aquilo que os espiritas kardecistas chamam de “missao”.

    Antes de encarnar vc “palneja” a sua vida terrena. Vc (com auxilio, claro), sabendo o que deve melhorar em si mesmo, sabendo quais aspectos de si deve desenvolver, sabendo as arestas que devem ser aparadas, escolhe seus pais, seus irmao, seus amigos, seu marido(s) ou esposa(s), escolhe suas doençAs e ate mesmo sua morte. Claro que alguns nao possuem capacidade para fazer essas escolhas, que lhe sao, entao, “impostas”. Esse “plano de voo”, essa “meta a ser atingida” é que seria a verdadeira vontade.

    Assim, a verdadeira vontade nao é algo tao restrito como apenas saber sua profissao. aprender a ser fiel pode ser uma parte de sua missao, entao nao trair sua mulher pode ser fazer sua verdadeira vontade (nao que ela se resuma a isso, claro).

    Bem, isso é o que eu penso, nao tenho base para isso, a nao ser as minha pequena compreensao do tema.

    se alguem puder complementar ou mesmo dizer que nao é nada disso, explicando melhor, fico grato.

  18. Lan says:

    Mão esquerda depende de quem vê , crowley deixou muita coisa clara , mais não é para todos enxergarem isso , cara ele não quis dizer ” descobrir sua verdadeira vontade” dessa forma , na boa antes de montar um blog escrevendo esse lixo procure se informar , não consegui ler o resto foi tanta besteira que não me interessei em ler o resto… Thelema fica mal vista por causa de blogs como este que só escreve besteria , mais o lado positivo disso é que filtra melhor o tipo de pessoas , assim não da qualquer um dizendo que é thelemita ….
    os escravos servirão

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Muito pelo contrário Lan,

      Você é a prova de que Mão Esquerda não depende de quem vê. Vem com toda essa arrogância, pouco discernimento e acreditando realmente ser o detentor da verdade – muito provavelmente porque gasta o seu tempo tentando praticar e não tenta entender absolutamente nada das correntes que estão por trás dessa prática.

      Não vou nem perguntar o que está claro porque, só pelo fato de você dizer “crowley deixou muita coisa clara, mais não é para todos enxergarem isso” já demonstra a sua capacidade de formular argumentos. Façamos o seguinte, responderei seu próximo e-mail se você REALMENTE fizer alguma pergunta ou apontar um questionamento vindo do Post. Terei o maior prazer em lhe explicar, citar as páginas, a referência e recomendar outros materiais que poderão ajudar no entendimento.

      Do contrário, fique aí gritando sozinho dizendo que é um verdadeiro Thelemita e continue fazendo esse bom bom proveito da sua “educação” e de seus “estudos”.

  19. Saulo Neto says:

    “Faze o que tú queres, há de ser tudo da Lei.”

    Olá a todos os estudantes, venho deixar-vos com a Luz de minha ignorância:
    A Thelema quando diz sobre V.V. ou V.’.V.’. (Verdadeira Vontade) se refere a fazer o que você realmente quer e não o que alguém te impõe a fazer, PORÉM, não quer dizer que você apenas siga teus instintos animais, pois nos estudos Thelemitas aprendemos que devemos ter controle e domínio dos pensamentos, bem como de todo o resto, para que tenhamos um estilo de vida saudável fisicamente, mentalmente, espiritualmente e moralmente. Por exemplo a frase: “Amor é a Lei, Amor sob Vontade.” param os bons entendedores deixa claro que, se tua V.V. for amar o que está sendo suposto a amar, ame, pois será tua V.V.. Resumindo: “Faze o que tú queres, mas fazes com discernimento.”, talvez se M.’. Therion assim tivesse composto a frase, tudo ficaria mais fácil de entender, mas se assim fosse, não nos esforçaríamos. Abraço Fraterno. F.’.Q.’.T.’.QQ.’.H.’.S.’.T.’.L.’. “A.L.A.S.V.”

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssimo Saulo,

      Como você pode ver pelo Post, eu concordo quando você diz: “nos estudos Thelemitas aprendemos que devemos ter controle e domínio dos pensamentos, bem como de todo o resto, para que tenhamos um estilo de vida saudável fisicamente, mentalmente, espiritualmente e moralmente”. NO ENTANTO, precisamos admitir o quão a maioria dos escritos de Crowley são abertos a interpretação.

      As Ordens e Grupos Thelemitas são, no geral, compostas por ocultistas bem pragmáticos, o que faz com que a maioria crie uma “verdade absoluta” que não existe nesses escritos.

      Infelizmente, não existe nada que possa ser justificado com o argumento de que “só os inteligentes podem ver”. Essa é uma falácia comum e é muito usado em contextos como: “Você é uma pessoa inteligente e CERTAMENTE vai entender o que eu tenho para lhe dizer” (e por aí vai).

  20. Mayara says:

    Finalmente, um post que me fez entender um pouco dessa thelema. Me interesso muito por esses assuntos, mas nunca achei alguma informação que conseguisse acabar com a maioria das minhas dúvidas, mas queria saber se então não posso fazer o que me der vontade, porquê senão serei seguidora dessa filosofia? Pois minha mãe diz que conhece essas coisas mas quando eu falo em fazer algo que eu quero ela diz que é psicologia thelema e um monte de coisas mais… me ajude a esclerecer isso

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssima Mayara,

      Não entendi bem a questão com sua mãe, mas, respondendo a sua pergunta: Não, se você fizer “o que lhe der vontade” isso não lhe tornará, nem de longe, “seguidora dessa filosofia”. A Thelema é bem mais complicada do que isso.

  21. hvy says:

    não sei mais tudo o que eu quero eu não falo pra ninguem e realiza a minha verdadeira vontade

  22. César says:

    Boa noite !
    “Atingir a Verdadeira Vontade seria sequer desejar trair a sua esposa. O que implica no domínio do ‘Físico, do Astral e do Mental’ .”

    Achei interessante essa interpretação. Acredito que mesmo debatendo por anos, dificilmente entraremos num acordo sobre o que Crowley ou Lavey quis dizer. Não aconteceu com Jesus, nem com Buda, quanto mais com eles ! Afinal cada leitor terá uma interpretação própria e isso é natural.

    Agora algo que não entendo. Como pode existir um Dominio dos desejos se em vez de controlar, o satanismo incentiva esses desejos ? Por exemplo, a preguiça, a luxúria…
    Ao meu ver o desejo que a gente satisfaz nunca acaba. Quanto mais a gente satisfaz, mais quer. Qual a sua opinião sobre isso ?

    Obrigado.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      “Ao meu ver o desejo que a gente satisfaz nunca acaba. Quanto mais a gente satisfaz, mais quer. ”

      Inclusive, isso é parte da Filosofia de Nietzsche, meu caro… A vida é um eterno sofrimento por ter prazeres insaciáveis e que nos fazem querer cada vez mais.

      Mas, respondendo a sua pergunta. Sim, de certa forma o Satanismo incentiva todos esses vícios, mas a questão é se eles estão de acordos com aquilo que você quer, pode e deve fazer.

      Nesse exemplo da Verdadeira Vontade, se você se comprometeu a casar, a Verdadeira Vontade é sequer ter vontade de trair (afinal, ninguém se casa querendo sair por aí fazendo sexo com outras mulheres). Nem LaVey (e nem as outras correntes do Satanismo) incentivam o homem a ser alguém sem caráter, e, no caso do Satanismo LaVey, muito menos.

      Se você quer uma vida de Luxúria, viva essa vida intensamente, mas não estando casado. É importante definir aquilo que você quer – e isso é por puro caráter e não por achar que existirá uma punição (seja no mundo físico ou nos planos metafísicos).

  23. josias Zanco says:

    Trair tem um significado e signifiacante horrível. Todos traem. É também da natureza humana. É pecado, Imoral. Todos somos Satanistas e não admitimos. Vivemos uma Era sob o domínio de Satanas, mas não queremos refletir e enxergar.
    Pecar é perder alguma coisa, “tomar o caminho errado”. Trair é trapacear com nosso próprio destino, romper com a intenção de Deus para com a vida humana. Ser traidor, não significa automaticamente levar uma vida imoral. O homem deve estar com Deus “Senhor da Vida”. A traição é desejo inconciente. A verdadeira vontade também é inconsciente, pode ser dominada, é o desejo humano da auto suficiência, o desejo de conse
    guir viver sem as repressões, sem “Deus”. Romper com as repressões nós leva aquilo que se chama quebrar, trocar as regras pela vontade e desejo. A verdadeira vontade , a traição, são profundas, fica no coração. A traíção é asquerosa, quebra o que o homem tem de mais belo e fica sempre na vontade malígna do homem.

  24. Guilherme says:

    Uma pessoa “solitária” (que não é membro da O.T.O por exemplo) pode ser um Thelemita?
    Estou fazendo essa pergunta porque já vi pessoas que se intitulam Thelemitas mas não são membros.

  25. O HERMETISTA says:

    e se o “verdadeiro desejo” for amar ao próximo como a si mesmo?
    pensando nisso parece que os dois mandamentos indicam o caminho do meio

  26. Luiz says:

    Admin

    A Astrum Argentum, a mais notória Ordem Thelemita, na sua opinião, é de confiança?

  27. ivo says:

    O que o Livro da Lei quer dizer quando diz pra nao acrescentar ou retirar nada de seu conteúdo? Não se pode estudar/interpretar ou relaciona-lo com assuntos já conhecidos? E quanto á destrui-lo assim que for lido, como recomendado no Comento? O que acontece se alguem ler o Liber pela segunda ou terceira vez? Grato.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssimo,

      (1) Não sei se ele quer dizer algo além do simples “se algo for adicionado ou retirado deixará de ser o que era antes”. (2) Esse medo existe porque os mais “puristas” acreditam que a maioria das interpretações sobre o assunto são exageradas (e creio que o próprio Crowley acreditava nisso), mas particularmente apoio a busca de diversas interpretações para um mesmo material (e eu mesmo já fui chamado de “louco” por algumas interpretações que tenho sobre o assunto). (3) A destruição do Livro da Lei parece ter sido mais sensacionalismo do que algo que realmente devesse ser seguido à risca. Mas creio que só Crowley poderia de fato responder a essa pergunta.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>