Satanismo – Santo Agostinho e a Inquisição

Hoje vamos falar sobre um dos Santos mais conhecidos da Igreja Católica e a sua relação com a Inquisição.

Santo Agostinho é considerado por muitos como o Pai da Inquisição devido a uma série de fatores que, se analisados friamente, acabam deixando pouca abertura para questionamentos.

Mas, como sempre, não tenho interesse em defender apenas um lado da história, pois ninguém ganha nada com isso.

Vou listar alguns dos fatores, mas essa ordem de importância está sendo feita por mim e não necessariamente é a ordem correta dos fatores (se é que ela existe).

Santo Agostinho – Uma Pessoa Má?

Primeiramente, Agostinho é considerado o primeiro Teólogo influenciador do Intelectualismo Europeu na Idade Média Baixa (período em que viria a surgir a Inquisição).

O grande São Tomás de Aquino foi um dos que citaram Agostinho fortemente, demonstrando a importância de seus escritos para aquela época.

Apesar de já terem existido “filósofos do cristianismo” antes de Agostinho (como você puderam ver em Posts anteriores), Agostinho é o primeiro a ter tamanho impacto nos  muitos séculos seguintes. Até porque, estes filósofos anteriores foram considerados hereges ou, simplesmente, foram descartados após sua filosofia ter sido incorporada em ideias maiores dentro do próprio Cristianismo.

Para ser mais claro, não foi incomum no Cristianismo que uma ideologia – que tenha sido absorvida pela Igreja – tenha tido uma raiz em um outro filósofo/pensador que acabou sendo esquecido.

Na maioria das vezes, a bem da verdade, é porque aquela era apenas a raiz mesmo e o conceito desenvolvido em torno era bem particular, não havendo assim a necessidade de citar a pessoa que a começou.

Todavia, em algumas raras vezes, acontece de uma filosofia ter sido baseada em um conceito que acabou sendo considerado herética, portanto, deixaria de ser interessante citar essa origem.

O segundo ponto exige uma explicação rápida.

Na época de Agostinho, o procedimento de torturas já era utilizado pelos governantes. Se rebelar contra o Estado, ou defender ideias contrárias que poderiam gerar grandes problemas, já era um bom motivo para que o indivíduo fosse pego e torturado para que isso não mais acontecesse.

A lógica de Agostinho é bem simples e pode ser resumida como:

“Se o Estado já se utilizava dessas Torturas, porque a Igreja também não poderia fazê-lo?” Ainda mais tendo em vista que os motivos e objetivos da Igreja eram (em teoria) infinitamente maiores.

O que é uma simples tortura comparado aos danos que um homem poderia causar incitando ideias torpes na mente de simples ignorantes da época?

Essa seria a maneira mais prática e efetiva de corrigir a verdadeira crença que as pessoas deveriam ter.

Agostinho tinha duas abordagens com relação a Heresia.

A primeira era chamada de “Perseguição Construtiva”, já que Agostinho não achava que o homem simplesmente deveria ser excluído da Igreja e/ou do Estado.

Agostinho acreditava que o Herege – principalmente aquele capaz de influenciar multidões – deveria ser retratado, ou então, destruído.

A segunda abordagem era a da “Censura Construtiva”, que é igualmente simples.

A censura por si só não bastaria. Seria preciso Expor e Constranger o infâme que teve a ignorância e a ousadia de expor assim suas ideias nocivas a sociedade.

No geral, esses pontos podem ser usados a favor da ideia de que Agostinho era uma pessoa cruel e foi o responsável pela ideologia que levou a Inquisição.

Mas vamos aos pontos que pesam a favor dele.

Uma Outra Análise…

Antes de mais nada, é importante lembrarmos que antes de Agostinho já havia ocorrido casos de punição a Hereges – como vimos no Post sobre Heresia. Mesmo que não tenham sido de forma muito cruel, não foi inovação de Agostinho pensar nessas punições.

Logo acima eu coloquei a questão “(…)se o Estado o faz, porque a Igreja não poderia fazer, sendo por uma causa mais nobre?” Porém, coloquei dessa forma propositalmente, pois é dessa forma que é exposto quando acusam Agostinho. Porém, vamos tentar ver por outro ângulo.

O que Agostinho estava pedindo, em termos práticos, era que a Igreja tivesse os mesmos direitos de punição que o Estado tinha. E, enxergar dessa maneira, já muda um pouco a forma de encararmos essa situação, você não concorda?

Da primeira forma, passa a impressão de que já havia uma ideia de tortura e que aquele é apenas um argumento para justificar o que já era desejado.

Vendo dessa outra forma nós já teríamos uma incógnita.

Diferente de outras questões do Cristianismo, existem documentos suficientes para falarmos de Agostinho. O que acontece muitas vezes é justamente a interpretação das palavras onde em várias situações temos mais de uma explicação plausível.

O que realmente é factual é que sim, o pensamento de Agostinho influenciou a Teologia da Idade Média que veio a dar origem a Inquisição. Mas não podemos afirmar, categoricamente, que era o que Agostinho iria querer.

Como exemplo gritante no mundo temos as várias “Guerras Santas” que são realizadas baseando-se nos Livros Sagrados.

Os Livros Sagrados realmente pregam isso?? Dependerá da forma como ele são estudados, encarados e interpretados.

Finalizando…

Não comecei falando sobre Agostinho em si, porque achei melhor começar pelo mais interessante.

Agostinho, antes de se tornar Cristão (pelo Batismo de Ambrósio) foi Maniqueísta, o que o fez dedicado, firme e lhe deu algumas oportunidade de estudo (já que ele se utilizou da “rede de contatos” que os maniqueístas tinham). Só se converteu ao Cristianismo bem mais tarde.

Desejava que o Cristianismo fosse universal, já que ele estava convencido de que o Cristianismo era o verdadeiro caminho.

Agostinho vinha de bases filosóficas como o Platonismo – que, de certa forma, ajudou a abrir algumas portas para o entendimento da Filosofia Cristã (mas isso será um tema futuro).

Muitos escritos de Agostinho ainda são lidos e estudados. Se você quer ter a sua própria impressão sobre ele, recomendo que as leia (principalmente a obra “Confissões”, que é uma de suas obras de mais fácil acesso), e veja se você acredita ou não que Agostinho poderia apoiar um movimento como o da Inquisição.

 

Veja Também

Maçonaria, Inquisição e a Igreja Católica
Maçonaria – Jesus e a Raiz do Cristianismo
Maçonaria – Filosofia do Cristianismo Primitivo
Maçonaria – O Imperador Constantino
Maçonaria – A Igreja e os Templários
Satanismo e a Heresia
Satanismo – Santo Agostinho e a Inquisição
Satanismo – Carlos Magno e a “Unidade” Cristã
Satanismo – Cabala no Renascimento
Satanismo – Magia e Filosofia do Hermetismo
This entry was posted in Satanismo. Bookmark the permalink.

58 Responses to Satanismo – Santo Agostinho e a Inquisição

  1. Carmen says:

    Gostei muito. A Igreja Católica vista por um outro angulo.

  2. Andrew says:

    A Igreja é muito criteriosa ao escolher os seus Santos. Não entendo o motivo de ficar aqui questionando a idoneidade dos Santos da Igreja.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caro Andrew,

      Conte-nos mais sobre “os critérios da Igreja para escolher seus Santos”.

    • Delfim says:

      Além da Igreja ser criteriosa em escolher os Santos, vem Deus depois e os confirma com seus Milagres,como temos centenas de corpos incorruptos espalhados pelo mundo… portanto quem fala qq coisa contra a Igeja , é inimigo dela, pois o Deus único a confirma com seus Milagres. O que historiadorzinho de fundo de quintal vem falar, não afeta,.

  3. Régis Müller says:

    Santo Agostinho é muito estudado nos meios acadêmicos e sua filosofia é importante para a história. Foi possível notar no escrito detalhes com referência ao estado, e talvez esse tenha sido um dos grandes assuntos dele, de modo que pregava a cidade terrena como ‘passageira’, e vivemos pela busca da verdadeira felicidade a qual acreditava, creio também que esteja na mentalidade da maioria dos cristãos (talvez exceto os pentecostais e outros grupos que pregam uma felicidade presente com suas curas e milagres), exista aquela que é considerada a cidade de Deus. Lugar onde os fieis viveriam a felicidade plena. Desconheço que Agostinho tenha influenciado na inquisição, mas interpretações errôneas acontecem em todos os meios. Mas talvez um ponto a se levar em consideração, é que a filosofia de Agostinho é diferente de Maquiavel que vê na cidade a importância máxima. Para Agostinho também, mas não esta e sim uma outra, a cidade de Deus. enfim, divagações em cima do tema ou assunto…

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Na verdade Régis, nesse caso não é bem uma questão de interpretação. A influência não seria direta, mas sim do fato dos escritos de Agostinho (re)aparecerem na época em que a Igreja vinha com as mesmas ideias de trazer o Poder Secular para a repressão aos Hereges.

      A questão é se essa filosofia foi determinante, ou não. É mais uma questão de Julgamento do que de Interpretação. Mas, particularmente, acho que mesmo não existindo um Agostinho, haveria outro para propor essas questões.

      A cidade em questão é a “Jerusalém Celeste”. Vai haver um Post sobre isso…

  4. Régis Müller says:

    Nesse caso, então, podem haver julgamentos que colocam agostinho como um grande influente da inquisição, como outros julgando não ter influenciado? De modo que poderia acontecer de nenhum estar errado?

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssimo,

      O que, exatamente, da minha resposta, fez você concluir que isso seria possível?

      • Régis Müller says:

        Não sei se consegui passar o que deseja nas perguntas. Nunca havia visto Agostinho como um ‘estimulador’ da inquisição, também não estou afirmando que você disse isso, pois como disseste, se não fosse por ele seria outro.
        “É mais uma questão de Julgamento do que de Interpretação. Mas, particularmente, acho que mesmo não existindo um Agostinho, haveria outro para propor essas questões”. enfim, desculpe se não estou conseguindo ser claro e chegar no ponto do assunto. Vou refletir mais.
        Abs

  5. Mauro says:

    Admin,

    Como faço para o meu blog se tornar parceiro do MAçonaria e Satanismo?

  6. Letícia says:

    Eu estou no time que não acha que ele foi uma pessoa ruim, e não estou dizendo isso pq ele virou santo, mas não era uma maneira de pensar tão cruel assim praquela época. O problema é que como sempre pegaram algo dito por alguém, em um tempo diferente, e distorceram tudo. Típico.

  7. raph says:

    O Santo Boêmio responsável por toda a Inquisição? Nossa, ele teria muito mais o que confessar…

  8. Marcelo Morais'' says:

    Olá, caros amigos (ou tios). Vim por esse comentário, porque não achei o e-mail do blog, para perguntar o porquê desses assuntos sobre a Maçonaria,se é que vocês são maçons, para entender o motivo dessas postagens, pois, é raríssimo encontrarmos maçons dizendo a respeito da Ordem em sites e tudo mais. Se for possível, tirem essa minha dúvida.

    Abraço fraternal.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssimo,

      É raríssimos encontrar “Maçons dizendo a respeito da Ordem em sites e tudo mais”?? Já existem sites na Web (de Maçons) que falam bastante sobre Maçonaria. Veja um exemplo: http://www.maconaria.net/portal/

      Também existem Maçons que falam MUITO a respeito (respondendo ao seu “tudo mais”). Só o Rizzardo da Camino, por exemplo, escreveu 40 obras sobre a Ordem e existem outras dezenas de autores que também já escreveram vários. Mas eu suponho qual seja o motivo da sua pergunta e permita-me um conselho: Quando você estiver em Sala Capitular e algum Tio não responder alguma pergunta sua (que não seja, obviamente, ligada diretamente aos Rituais da Maçonaria) é muito provável que ele não saiba a resposta (ou, talvez até saiba, mas ele acredita verdadeiramente ser um grande segredo e prefere não falar). Nesse caso, procure estudar para encontrar respostas para suas dúvidas.

      • Marcelo Morais'' says:

        Perdoe-me por eu não ter o conhecimento sobre os outros blogs de maçons, realmente eu não conhecia. Obrigado pela resposta, realmente, tenho que concordar com você. Valeu pelo conselho! Se houver algo que possa me indicar ou coisa do tipo ficarei feliz em ouvir, obrigado!

        • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

          Há muitas referências em nossos Rituais, meu Irmão. O que não faltam são livros para serem indicados, mas depende muito da sua área de interesse.

          • Anonima says:

            Olá Novamente
            A minha áre de onteresse é sobre a proteção da própria aura, proteger de influencias externas e maléficas.
            Você poderia me indicar alguns livros sobre Maçonaria com os eu poderia esclarecer este assunto?
            Aguardarei Seu mail,
            Atentamente
            Anonima

          • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

            Caríssima,

            Apesar de (como eu já disse anteriormente) a Maçonaria não tratar diretamente de questões como essas, nesse caso existem autores maçônicos que poderiam lhe ajudar, como Papus e Charles Leadbeater.

          • O HERMETISTA says:

            o que acha de Dion Fortune a respeito do tema proteção???

          • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

            O livro dela é o primeiro que recomendo quando me pedem alguma bibliografia sobre proteção astral. É sem dúvida um dos melhores livros para iniciar e compreender o tema.

  9. Rev.Breno says:

    ele tem uma das melhores frases que resume o Homem:
    “-Deus, faça-me casto…mas não agora.”

    Santo Agostinho é brilhante e que sofreu tanto (ou mais) abuso interpretativo como Nietzsche sofreu com os nazistas.

    Essa coisa de interpretação é oda, na idade média as torturas eram feitas sem derramamento de sangue pois “é pecado derramar sangue de um irmão”, no mundo arabe isso ainda existe

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Na Ditadura Militar também existiram muitas torturas sem derramamento de sangue, e, pelos relatos, nenhuma delas pareceu ser “menos tortuosa” do que aquelas que o tinham.

  10. Luis says:

    De Santo os Santos da Igreja não tem nada.

    • Anonima says:

      E mtos fiéis tbém de religiosos sinceros ñ tem nada.
      entram nas igrejas católicas passam a mão nas imagens como se pedindo proteção e depois continuam a despeitar, invejar, fofocar , etc..
      A igreja quer vender é as medalhinhas, imagens, recolher os dizimos, etc.
      Não importa para quem.
      Não se preocupam em orientar as pessoas, para ser católico ou crente não tem necessidade de utilizar a massa encefàlica!

      Em Roma um mafioso foi sepultado no altar da igreja, era o sonho dele e o padre da época, fazem só uns 11 anos, o padre disse q não importa a indole dele, mas ele ajudava a igreja, Podem procurar noticia na net: De Pedis, banda della magliana.

  11. Grazzy says:

    Nossa, gente. É muito dificil julgar uma situação, quando esta segura nossa fé. Um homem considerado santo, milagreiro, sábio, toca o “coração das pessoas”. Com isso ele pode matar, roubar e destruir, que sempre haverão pessoas que o justificarão. Sempre o que um querido faz é por uma boa causa. E os prejudicados( mesmo que inocentes) merecem! A hipocresia ataca novamente…

  12. Jacó says:

    “Se o Estado já se utilizava dessas Torturas, porque a Igreja também não poderia fazê-lo?”

    É tão absurdo que chega a ser engraçado… É complicado ver santidade em alguém assim!
    “Claro! Vamos matar mulheres liberais, elas são bruxas malignas!”, que absurdo…
    Lavey diz que as bruxas de verdade dormiam com os inquisidores.

    Eu estava vendo os instrumentos de tortura da igreja, é assustador o que eles faziam com as pessoas, só para impedir que elas buscassem a ciência, a liberdade e as artes…

    …Por isso não tenho religião, creio em Deus.

  13. D.E.G says:

    Eu acho que o grande problema é a ilusão do controle. Interpretações à parte, a tortura só existe porque o torturador quer impor algo à toda a população através dela. Não é questão de certo ou errado. A imposição de uma ideia através de dor física se torna mais horrível que a própria dor em si. E se pudéssemos voltar no tempo e torturar os Inquisidores? A ideia de eliminar o “mal” PRIMARIAMENTE é plausível, mas a forma de executá-la é determinante. Dessa forma, não importa o lado, o controle é ilusão – apesar de toda forma de civilização humana valer-se dele para viver. Mas isso é viver?

  14. Pimnetel says:

    Olha, sinceramente, esse artigo não possuirá nenhuma validade se você não citar as fontes… existem coisas aí que eu gostaria muito de saber onde Agostinho disse (em que obra), caso não seja possível, o artigo não passará de uma mera opinião baseada em outras opiniões = nada!

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssima,

      Sinceramente, tenho certeza que a sua opinião sobre o Post não está longe de ter a mesma validade (= nada). Se você acompanhasse o blog, saberia que os Posts são escritos dessa forma para manter a fluidez e a atenção do leitor e que, a qualquer momento, esse mesmo leitor pode vir até aqui (ou por e-mail, em particular) solicitar essas fontes.

      Outra forma de fazer isso, é questionar algumas das informações que coloquei no Post. Essa é a hora em que eu também sou obrigado a referenciar tais origens.

      Você acha mesmo que vindo até aqui dizer isso tem a mínima chance de me fazer mudar a forma com que os Posts são escritos? Se eles não lhe dizem nada, fique a vontade para não voltar mais ao Blog.

      • Pimnetel says:

        O problema não sou eu, amigo. Pois estudo a obra do Agostinho. Eu disse Estudo! Leio as obras, que não são poucas (Agostinho possui mais de 1oo obras, sem contar as cartas e os sermões), e afirmo que nunca vi coisas parecidas com essa que você colocou. A questão é que seu blog vira referência para muitos nescios que se manifestaram aí mais a cima. Eles assumem as suas palavras sem a menor crítica, como se fossem a mais pura verdade. Você como comunicador, e principalmente desses temas que são de dificil acesso, tem a RESPONSABILIDADE de ser honesto com os artigos (e não sensacionalista) e seus leitores tem o dever de questionar a veracidade das informações, principalmente agora que você distorceu o pensamento de Agostinho. Não digo que Agostinho não erra, o que digo é que o que você escreveu nada tem a ver com o autor… a não ser que você prove, citando as obras do autor, o que eu acho muito dificil que voce faça.

        • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

          Caríssima,

          Se você realmente leu as obras de Agostinho, é realmente uma pena que tenha sido tão improdutivo.

          Vou responder então no nível da sua pergunta…

          1. Se você não identificou nada do que foi dito, nas obras básicas e acessíveis de Agostinho, demonstra que você SEQUER considera interpretações simples das obras. Interpretações minhas?? Longe disso. Mas é claro, eu não esperaria menos de uma pessoa que começou esse diálogo da forma que você o fez.

          2. Você lê Agostinho sem ter a MENOR IDEIA do que é fato e do que não é. Você estudou uma filosofia VAZIA. Sabe porque?? Se eu lhe perguntar quais Preceitos Agostinho pregou e, em contrapartida, agiu de forma oposta, você saberia me dizer?? Tenho certeza que não – e tudo isso porque você acha que basta simplesmente estudar Agostinho sem conhecer a HISTORIOGRAFIA da época!

          Quer saber de onde vem o que eu disse nesse Post?? Estude os Historiadores Paul Jonhson e Paul Tillich. Você realmente se considera estudiosa estudando APENAS as obras de Agostinho?? Você acha mesmo que isso é possível sem conhecer a HISTÓRIA DO CRISTIANISMO???

          Bem, independente se você acha, ou não, a maioria dos “néscios” que lêem esse blog parecem ter uma ideia muito melhor do que você sobre isso.

        • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

          Apenas me confirme que você REALMENTE não tinha (e continua não tendo) a menor ideia sobre a visão de Agostinho com relação as Punições!! É impressionante que uma pessoa venha aqui gritar que estuda Agostinho e demonstra não conhecer coisas básicas sobre o mesmo. É por isso que eu não costumo perder o meu tempo escrevendo textos da forma quer você sugere. Olha o tipo de gente que acaba aparecendo.. Acha que ler 20 ou 30 livros é alguma coisa (e nem estou questionando o que foi ou não absorvido desses livros)…

          Faça o seguinte, se você ainda for responder, diga DIRETAMENTE o que você quer saber “onde está” e eu lhe darei uma rápida explicação sobre esse tema que você acredita conhecer tanto.

          No mais, pare de ler Obras que você não entende e leia, PELO MENOS, a “História do Cristianismo” (do Paul Jonhson – já citado). Nele você encontrará essas coisas simples. Acredite, vai lhe acrescentar muito.

          Depois de ler, volte aqui (com um pouco mais de educação) e eu terei muito prazer em lhe apresentar a literatura “Ortodoxa” e “Árabe” que trata da filosofia do Pensamento de Agostinho.

  15. Pimnetel says:

    Amigo, agora você distorceu minhas palavras pois em nenhum momento citei desconhecer a história do cristianismo, muito menos disse que tal conhecimente era irrelevante. Que argumentos você tem hein? Dizer que estudei Agostinho sem conhecer a história…. nossa, você realmente sabe o que estudei ou não? Claro que não! Então, deixemos de falatório… vou ser direto, você colocou:
    ” A lógica de Agostinho é bem simples, e pode ser resumida como:

    “Se o Estado já se utilizava dessas Torturas, porque a Igreja também não poderia fazê-lo?” Ainda mais tendo em vista que os motivos e objetivos da Igreja eram (em teoria) infinitamente maiores.”

    E depois, falou da perseguição aos hereges.

    Pois bem, poderia, amigo, citar as obras de Agostinho ou de autores do seu tempo que afirmam tais posicionamentos de Agostinho?
    Ou você citará as História do Cristianismo supracitadas?
    Quer dizer que tais autores sabem coisas que Agostinho disse e que, no entanto, não possuem registros do autor?

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssima,

      Você não precisa dizer que não estudou a história do cristianismo, da mesma forma que eu não preciso lhe conhecer, para isso. Essa é apenas uma evidência contida nos seus apontamentos absurdos, que jamais viriam de alguém que conhece (e estudou) o Cristianismo.

      Você quer saber o que está escrito na HISTÓRIA e que você jamais verá nas obras de Agostinho? A postura firme e rígida de Agostinho com relação a todos os Hereges. Aliás, é impossível estudar a História de Agostinho sem que esse posicionamento fique Evidentíssimo. Você quer procurar História em um Livro de Filosofia??? Você nunca vai encontrar isso.

      Mas ok.. Você quer saber onde foi que Agostinho disse tal afirmação? Primeiramente, essa afirmação colocada por mim (na qual eu não mencionei que foi Agostinho que disse e sim que sua ideia poderia ser resumida dessa forma) vem de Ambrósio (filosofia a qual Agostinho abraçou) e que fez referência a ela por, pelo menos, duas vezes. Uma delas foi em uma carta a um amigo donatista e outra foi no processo de perseguição contra Pelágio, que aliás, foi o maior marco da história de Agostinho – e mais de um livro foi escrito APENAS para falar da relação entre Agostinho e Pelágio.

      Quer ler as Cartas? Quer ler as declarações de Agostinho? Vou mais longe então e parar de recomendar as obras em português – que facilitariam muito a sua vida:

      “St. Augustine of Hippo: Life and Controversies” – Gerald Bonner
      “Pelagius: Inquiries and Reappraisals” – Robert Evans
      “A Study of the Religion of St. Augustine: The Hulsean Lectures for 1938″ – John Burnaby
      “Religious Dissent in the Later Roman Empire: The Case of North Africa” – Peter Brown

      Estão aí as referências que você (grande estudiosa de Agostinho) queria. Você encontrará a referência aos documentos, encontrará muita das atitudes de Agostinho que foram em contramão a filosofia que ele pregava, vai entender melhor como a sua proposta filosófico-religiosa foi influencia pelas suas origens (como o Maniqueísmo) e etc.

      Quer discutir também sobre os métodos de pesquisa historiográficos utilizados?

      E insisto, mesmo que ele não tivesse qualquer relação com Ambrósio e suas ideias, basta estudar os VÁRIOS atritos que Agostinho teve com o Estado (para que fizessem valer a perseguição aos hereges) para afirmar que ele seguia essa lógica.

      • Pimnetel says:

        Ok. Você não conseguiu citar obras do autor porque não o conhece. Não vou continuar a discussão pois somente colocou como referência comentadores.
        Quer me dizer que esses estudiosos possuem um material de Agostinho totalmente exclusivo, que só eles tem? Me poupe… para dizer que são posições de Agostinho precisam estar em obras dele e não de qualquer comentador, seja daonde for. Você deveria admitir que criou um post sobre um autor sem conhece-lo, fez apenas com base e livros historicos de autores duvidosos….. o que, de certo modo, ficou claro quando você se corrigiu a respeito da citação (que foi de Santo Ambrósio). Olha, sinceramente, você acha que é único que conhece história? ou história da igreja?
        Boa sorte a você e seus seguidores acriticos

        • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

          Caríssima,

          Após os seus muitos comentários, creio já ter ficado bem claro quem aqui não conhece Agostinho, não é mesmo?

          1. Não conhecer nenhum desses autores (e ainda acreditar que eles são “duvidosos”) só reforça o quanto você não conhece nada sobre a história do Cristianismo.

          2. Eu não sei de onde você tirou que esse Material é desconhecido. Confira por você mesma.

          3. Você vai realmente insistir no argumento “para dizer que são posições de Agostinho precisam estar em obras dele”? Curioso, eu posso lhe afirmar, CATEGORICAMENTE, como eram as Posições de Hitler e Napoleão Bonaparte sem que eles tenham escrito NADA DISSO. Aliás, a história existe muitas vezes para isso. Você, por acaso, também defende que Jesus disse várias coisas bonitas em sua vida e cita a Bíblia como exemplo??

          4. Várias coisas que Agostinho escreveu em sua Biografia NÃO SÃO VERDADEIRAS e a História demonstrou isso. Mas, seguindo a sua lógica, eu deveria acreditar no que Agostinho disse e não na História, não é mesmo??

          Você realmente vai muito longe assim. Não só nessa como eu várias outras discussões.

          Você queria as fontes? Eu as citei. E você é obrigada a rebater agora “para tentar convencer alguém de que está certa” só porque nos 2 comentários anteriores você ficou aí gritando que essa não era a posição de Agostinho. No entanto, seu argumento é tão rico quanto o seu conhecimento.

          Volte sempre que quiser, minha cara. Pode ser nesse ou em outros posts também. “Usuários” como você sempre tornam os Posts muito mais ricos e também ensina os demais leitores a serem mais educados ao tentar fazer um questionamento (já que estes ficam com receio de também serem expostos ao ridículo).

          “…para dizer que são posições de Agostinho precisam estar em obras dele” – rsrs, é impressionante…. Ainda bem que essa página tem mais de 250 acessos/dia, se não eu teria achado uma grande perda de tempo ter respondido tudo isso para alguém que tem esse tipo de “lógica” e “argumento”.

          • lala says:

            Não consigo parar de me impressionar com você, seria muito interessante te conhecer pessoalmente…você rebate cada um como um gênio, parabéns!

        • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

          Ah, e em momento algum do Post eu havia dito que aquela frase era de Agostinho. Apenas disse que sua lógica se resumia àquela (o que nunca deixou de ser verdade). Se não citei Ambrósio antes é porque eu teria de explicar quem ele era, caso eu tivesse mencionado o seu nome…

          • ivo says:

            Esse argumento de que “tudo o que escreveram a meu respeito é inverídico. Acredite só no que eu escrevi.” é meio ingênuo. Gosto destas discussões por que elas estimulam a pesquisa. O(A) “Pimnetel” agora vai estudar um pouco mais.

        • João Felipe Azeredo says:

          Acríticos!!?? Aham… Sei… Tá bom Cláudia, senta lá!

          • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

            Caro João,

            Eu sabia que após o “acríticos” teriam pessoas se manifestando, mas você não conta. Eu sei que foi o Carlos que lhe chamou para ver a discussão.

  16. Carlos Eduardo says:

    Quer dizer que Paul Jonhson, o historiador conservador mais consagrado do Século XX, foi tido como um simples COMENTADOR pela leitora acima?

    Meu Irmão “Admin”, desculpe me intrometer mas só estava esperando o cessar da discussão para comentar, mas agora nem há mais o que dizer. Esta foi apenas mais uma fanática religiosa que vai seguir assim para o resto da vida.

    Fora isso, devo dizer que fiquei muito feliz em saber dessa quantidade substancial de visitas que, na verdade, era até possível deduzir, tendo em vista que o número de “curtir” passou até os do blog do Marcelo Del Debbio.

    Parabéns mesmo, meu amado Irmão. Você merece pela clareza e qualidade do seu trabalho, além dessa retórica invejável que vai muito além da Lógica Aristotélica.

    S.’.F.’.U.’.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssimo Irmão,

      Agradeço as palavras – e você sabe que sempre terá liberdade para se intrometer. Você está em casa.

      Se perco meu tempo com esse tipo de coisa é apenas por saber que existem pessoas sérias lendo (e algumas até acompanhando). Mas o problema maior não foi nem chamá-los de “comentadores” (já que eu não citei só o Jonhson), mas sim o fato da pessoa acreditar, verdadeiramente, estar estudando Agostinho quando, na melhor das hipóteses, está estudando algumas de suas teorias, sem sequer conhecer autores como Bonner (que é um expoente de Agostinho), por exemplo. É impensável! E isso sem falar no “belíssimo” argumento que ela usou para combater a História. Mas isso faz parte do processo. Semana que vem aparece(m) outro(s) por aqui, você sabe.

      No mais, não estou com mais visitas que o Irmão Marcelo. Sei que passa essa impressão pelos Likes do Facebook, mas o blog dele é bem mais expressivo (mesmo porque, ele trata de todo o universo iniciático e ocultista).

      Lógica Aristotélica… Acredite, eu já pensei em fazer alguns Posts para tentar explicá-la para, quem sabe, fazer com que alguém conseguisse avaliar suas próprias falhas argumentativas, ou “falsos argumentos” (falácias) antes de vir aqui comentar. Mas, sejamos sinceros: As pessoas entenderiam?

      T.:F.:A

      • LH says:

        Sem contar que, arrogantemente, ela se pôs acima de todos nós, ou seja, pra ela não passamos de idiotas… vai muito longe ela!
        TFA

  17. Maísa says:

    Saudações admin,

    Comecei a acompanhar essa discussão na quarta, e nesse período aproveitei para terminar de ler os demais posts. Não estou concordando com a Pimnetel, que você diz ser mulher, mas gostaria de dizer que acho um pouco agressivo, ainda que instrutivo, muitas de suas respostas. Digo isso pq vi que existem outras respostas assim também, no decorrer do blog. Creio não precisar de tudo isso. Como foi dito, fanatismo religioso é assim mesmo e não importa como será dada a sua resposta e nem se ela tem fundamento ou não. Acho que você podia simplesmente ter ignorado o primeiro comentário. Por ali já dava pra ver onde isso terminaria. Pode ficar uma impressão ruim (a troco de nada) para algumas pessoas que lhe verem responder dessa forma.

    • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

      Caríssima,

      Foi você quem trocou dois e-mails sobre Thelema comigo há umas duas ou três semanas atrás, certo? Releia estes e-mails e me diga se, em algum momento, eu lhe respondi algo de forma agressiva? Inclusive, seu caso não foi muito diferente desse. Você conhecia uma “linha” de thelema que parecia muito distinta da que você viu no Blog, portanto, veio me perguntar (muito educadamente) se era possível encontrar essa visão nas obras que você já tinha lido, ou, se haviam outras visões de Thelema “além Crowley”. Dessa forma, trocamos e-mails muito saudáveis e imagino ter esclarecido a questão, certo?

      Isso não só acontece por e-mail como também acontece no Blog (e tenho certeza que você também viu esses comentários). A única questão é que esse tipo de abordagem estúpida e prepotente eu respondo de forma agressiva, é simples. Se alguém realmente deixar o Blog por causa disso, é porque esse não era mesmo o lugar dele. Não fará falta, acredite.

      • Maísa says:

        Talvez eu não tenha me expressado corretamente. o “agir agressivamente” não é o que considero o grande problema, mas sim o fato de responder esse tipo de e-mail que como você mesmo colocou é “estúpido e prepotente”. Pra que se dar ao trabalho quando o outro não tem o desejo verdadeitro de aprender com isso???? Ainda acho que fica ruim dar tanto crédito assim para algumas coisas.

        Mas reconheço que você foi muito paciente (e agradeço por isso) ao me dar uma resposta extensa e completa sabendo que aquela resposta não teria nenhuma visibilidade.

        • Maçonaria e Satanismo (admin) says:

          Caríssima,

          Eu entendo a sua colocação, mas como eu sempre digo, não faço isso só pela pessoa que vem aqui atacar ou questionar. Faço isso por todos os demais leitores que prestigiam o Blog.

          Quando uma pessoa começa uma discussão atacando ferozmente alguma coisa, dificilmente ela será convencida de que não estava certa. Uma discussão assim não serve para convencer a pessoa de que ela estava enganada. No entanto, serve para demonstrar isso aos demais espectadores…

    • O HERMETISTA says:

      não poderia se esperar outra reação de um satanista(digo isso baseado nas concepções de satanismos ensinadas aqui)

  18. Charles says:

    Fico me perguntando pra que tanta discussão o post foi bem justo em colocar as coisas a favor e as coisas contras. Agustinho foi um homem que errou e acertou como todo mundo, ninguém é perfeito.

  19. alex vander says:

    Herege não era quem eles diziam. Herege é o que cria argumentos sem fundamento, para perseguir quem é de Deus. Herege é aquele que Deus está mandando parar, e o pernicicioso não para. Herege é aquele que quer usar coisas santas ( santuário por exemplo) para fins da maçonaria e etc.

    • LH says:

      E vamos todos para o inferno não é mesmo?… a fala sério, intolerância religiosa em uma hora dessas, me pergunto o que esses fanáticos religiosos vem fazer aqui no blog… “fins de maçonaria” foi ótimo, principalmente porque o comentador aí em cima não deve entender nada de Maçonaria!

  20. fabio says:

    nossa, descobrir do nada essa página. vcs ainda postam

  21. Alaer Garcia says:

    Como estou escrevendo sobre Sto Agostinho,encontrei esse blog agora.Uma coisa interessante que os comentarios dos blogs,vao desaparecendo com o tempo, ate parece as ´Confissoes´sobre o tempo de Agostinho. Ele foi um grande genio, é considerado ate pelos agnosticos. Nao sei nada de maçonaria, pois sao segredos entre os maçons. Mas todo maçon que ja conheci estou com 71 anos, diz adorar a frase ´Deus interior´- Quem fez isso ?- Sto Agostinho. Foi pecador foi – Ai as Confissoes , serem sessoes de Psicanalis de Freud.
    Essa ideia que influenciou a Inquisiçao , foi mais para Tomas de Aquino e os jesuitas.
    Quando morreu ,com 76 anos Cartago estava sendo invadida pelos vandalos, fim do Imperio Romano. Ele nao desprezou a fe e a razao. E na sua concepçao , o mal nao existe e deve ter a graça ( palavra de pouco significado hoje), deve ser dada. Como um Deus pode criar o mal, ele corroi ,como ferrugem. É a vida

  22. Don Juan de Maro says:

    Lembro-me das aulas de filosofia preparadas por um padre falando muito de sto. Agostinho. Parece ser peça importantíssima para a Igreja.

    Acho que os católicos não conseguem fazer mais fanáticos que os protestantes. Afinal a igreja tentou monopolizar o mundo, e sem uma fé cega seria quase impossível concluir seus objetivos.

    Bem hoje tive a oportunidade de treinar minha capacidade de persuasão, e observar mais como pensam e se comportam os crentes. Bem, resumindo o cristão protestante afirmou que se eu fosse um homem de bem, e praticasse boas obras durante toda a vida sem nada que me desabonasse, e não aceitasse Jesus eu iria direto para o inferno. Então eu disse que Jesus disse:- Pai, perdoai-vos os pecados pois não sabem o que fazem.
    Então como o crente afirmava que eu não conhecia Jesus, logo eu estaria salvo pois era um ignorante, e que eu não sabendo de Cristo seria mais fácil entrar no céu.
    Afirmei então que toda ignorância, para mim era melhor que ser batizado nas águas. Logo o que peca conhecendo o evangelho tem mais culpa.
    Então disse a ele que se Jesus descer do céu e resolver o problema dos deuses dos livros da Terra eu o adoraria, e ele disse: Jesus está aqui.
    Então dei socos no ar e disse onde vc está?
    Então ele novamente me disse que dessa forma eu iria para o inferno.
    Então eu disse: Jesus deu o outro lado da face para ser batido. Portanto vc como cristão deve receber todas as ofensas sem questionar nada.
    E disse mais: – Esta escrito: – Que toda blasfemia contra o Pai e o filho será perdoada. E afirmei. Jesus já levou meus pecados, e sendo assim ele irá me perdoar, portanto minha entrada no céu continua garantida.
    E ele disse:- Só não será perdoado se for blasfemai contra o espírito santo, e eu disse: – Por favor não fale este nome aqui. E afirmei que ele tinha obrigação de me pedoar e orar por mim. Mas a conversa era que ele era o dono da verdade.
    Então. Não vi outra estratégia.
    Comecei a olhar pra cima e dizer: – ÓH , Jesus, perdoa-me pois eu pequei, o Sr. é meu único e verdadeiro salvador (fiz isso com cara de comoção falando igual o INRI CRISTO), E NÃO É QUE FUNCIONOU. O CRENTE MALUCO SE CALOU E FICOU SATISFEITO. RSSSSSSSSSSSSS DEPOIS PRA FINALIZAR, EU FALEI EM INGLES . : – TOLOS, TOLOS E DEI UMA RISADA INFERNAL. MAS JÁ ERA TARDE DEMAIS PRA ELE.

  23. Lutero says:

    foi util ter lido isso

  24. Alaer Garcia says:

    Tudo ao contrario.
    Foi um genio dai ser mal interpretado.
    Ele dizia que o mal nao existe. E tenho uma advogada japonesa que para os japonese ele seria um ´Hipocrita´.
    Agora imagine.
    Semelhante aos blogs vai passando e nunca mais .
    O que ele disse sobre tempo e memoria a Neurologia esta longe de explicar.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>